Bancos e blue chips puxam alta de 1,5% da Bolsa de Xangai

As ações de bancos e algumas blue chips apresentaram altas significativas no pregão de hoje da Bolsa de Xangai, impulsionadas pela demanda de investidores institucionais. Com isso, o índice Xangai Composto avançou 1,5% e rompeu a marca psicológica de 2.700 pontos, fechando em 2.716,18 pontos. O índice Shenzhen Composto subiu 1,9%. Segundo os analistas, a pressão pelo resgate de papéis diminuiu após a recuperação de ontem da bolsa, quando o Xangai Composto encerrou uma série de cinco sessões de baixa. Isso impulsionou a busca por ações baratas e por empresas potencialmente rentáveis. O yuan se valorizou e ultrapassou a banda de flutuação do dólar de Hong Kong frente ao dólar norte-americano, ficando acima do limite superior da banda e atingindo nova máxima após a revalorização de julho de 2005. No mercado de balcão, o dólar foi cotado a 7,7478 yuans às 5h45 (hora de Brasília), de 7,7555 yuans no fechamento de ontem. No sistema automático de preços, o dólar caía para 7,7470 yuans (nova máxima pós-revalorização do yuan), contra 7,7542 yuans no encerramento de terça-feira. A banda de flutuação do dólar de Hong Kong vai de 7,75 yuans a 7,85 yuans por dólar dos EUA. A valorização de hoje fez com que o yuan se tornasse a mais cara das duas moedas chinesas e seguiu-se ao enfraquecimento de ontem do dólar norte-americano em Nova York. Os operadores acreditam que dificilmente a moeda dos EUA se recuperará frente ao yuan nesta semana. Na Bolsa de Taipé, em Taiwan, o índice Taiwan Weighted recuou 0,3%, com as perdas no setor de turismo parcialmente compensadas pelos ganhos nas indústrias de papel e de alimentos. Segundo explicou um operador, tais indústrias têm grande exposição à China e oferecem boa perspectiva de rentabilidade, enquanto os investidores aguardam o Ano Novo chinês e a divulgação dos balanços do quarto trimestre. A companhia de alimentos Uni-President Enterprises teve alta de 3% e a fabricante de papel Cheng Loong saltou 5,2%. Entre as perdas, Ambassador Hotel fechou com queda de 1,7%. O índice Kospi, da Bolsa de Seul, na Coréia do Sul, encerrou o pregão em baixa de 0,2%. Houve realização de lucros por parte das instituições locais, mas a continuidade das compras efetuadas por investidores estrangeiros limitou as perdas. As ações da Posco ficaram estáveis, apesar de a companhia ter anunciado um plano de recompra de ações e a aliança com uma siderúrgica local. Os papéis da LG Electronics subiram 3,2% com a notícia de que a empresa pode obter um grande contrato no segmento de telefonia móvel 3GSM. Depois da forte alta nas últimas sessões, Hyundai Heavy caiu 3%. A Bolsa de Manila, nas Filipinas, fechou em queda pelo segundo dia consecutivo devido à continuidade das realizações de lucros que se seguiram aos ganhos recentes. O índice PSE Composto perdeu 1,2% e pode ter nova baixa amanhã, segundo a previsão do analista Oliver Plana, da Asiasec Equities. SM Investments caiu 3,1%, Ayala Corp. baixou 1,5%, Philippine Long Distance Telephone (PLDT) recuou 1,2% e Globe Telecom diminuiu 1,4%. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.