Bancos facilitam empréstimos

Foi dada a largada da corrida dos bancos para estimular o crédito no último trimestre, depois do susto da inadimplência na virada do ano. Além de taxas de juros menores propiciadas pela redução na contribuição para o Fundo Garantidor de Crédito (FGC), o mote principal dos pacotes de financiamento oferecidos é colocar o dinheiro na mão do cliente sem burocracia e grandes exigências. Desde ontem, o HSBC, por exemplo, tornou disponível para os clientes uma linha de crédito pessoal com prestação máxima baseada na renda comprovada do cliente e na sua ficha cadastral. O prazo é de 24 meses e os juros variam entre 3,4% e 8,25% ao mês, quase um ponto porcentual menor do que a taxa vigente anteriormente. O banco informa que a contratação do financiamento é imediata e pode ser feita pelo caixa automático, pela internet ou telefone. Junto com outros produtos lançados no primeiro semestre, a intenção do banco é dobrar a sua carteira de crédito geral entre 2004 e 2008. Também na linha de facilitar o empréstimo, a Nossa Caixa deixou de exigir avalista para os financiamentos até R$ 10 mil destinados a clientes e não clientes. Segundo o gerente da Divisão de Segmento Pessoa Física, Carlos Takahashi, exige-se a documentação básica e o empréstimo é liberado mediante a garantia de cheques pré-datados. Primavera O Bradesco lançou um conjunto de facilidades para impulsionar as operações de crédito batizada de Pacote de Primavera. Segundo o diretor de Empréstimos e Financiamentos do banco, Alexandre Gluher, o pacote inclui facilidades para quatro linhas de crédito: veículos, crédito pessoal para o Dia da Criança e antecipação de 13º salário tanto para pessoas físicas quanto para as empresas. No caso de veículos, o cliente que recebe o salário no Bradesco pode contratar um financiamento de 100% do valor do carro, tendo 62 dias de carência para pagar a 1ª parcela. O prazo é de 72 meses e a taxa mínima é de 1,73% ao mês. Em condições normais, essa linha de crédito não tem carência, o prazo máximo é de 60 meses, com juros mínimos de 1,82% ao mês e são financiados 80% do veículo. Gluher não revela as metas de ampliação de cada carteira. Diz apenas que o banco quer ampliar em 25% este ano os empréstimos para empresas e consumidor. Ele adianta que, nesta semana ainda, o Bradesco vai lançar financiamento imobiliário com recursos da poupança e prestações fixas. O Santander Banespa lançou ontem uma linha de crédito para compra em 20 anos de imóvel com recursos da poupança com parcelas fixas. O superintendente de Crédito Imobiliário, José Manoel Alvarez Lopez, conta que o banco trabalhava com recursos próprios nessa linha. Mas, com a possibilidade de usar dinheiro da poupança, o valor da prestação caiu 13%. O Banco do Brasil optou por cortar juros para consumidor e empresas por conta da queda na contribuição para Fundo Garantidor de Crédito (FGC). "Vamos economizar com o FGC'" disse o diretor de Varejo, Paulo Bonzanini.

Agencia Estado,

03 de outubro de 2006 | 09h00

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.