Bancos pressionam bolsas da Europa, que fecham em queda

Fala do presidente do Federal Reserve, Ben Bernanke, sobre necessidade de líderes europeus reforçarem sistema bancário pesou 

Renan Carreira, da Agência Estado,

21 de março de 2012 | 15h42

A maioria das bolsas europeias fechou em queda nesta quarta-feira em meio a uma sessão volátil, ele afirmou que os líderes europeus devem reforçar o sistema bancário e consolidar uma forte proteção financeira a fim de evitar o contágio em mercados de dívida soberana. O índice pan-europeu Stoxx 600 caiu 0,11%, fechando a 268,67 pontos.

Os bancos europeus registraram baixas após o presidente do Federal Reserve, Ben Bernanke, dizer que a crise na Europa ainda não acabou e que a região precisa fazer mais para resolver de uma vez por todas a turbulência econômica. Em depoimento no Comitê de Supervisão e Reforma do Governo da Câmara americana.  Nos Estados Unidos, as vendas de imóveis residenciais recuaram levemente em fevereiro, mas ainda apresentaram o desempenho mais forte para este mês em cinco anos, à medida que o mercado imobiliário mostrou sinais de recuperação. As vendas de moradias usadas caíram 0,9% em fevereiro, para uma taxa anual de 4,59 milhões de unidades, de acordo com a Associação Nacional de Corretores de Imóveis. As vendas anualizadas em janeiro foram revisadas em alta, para 4,63 milhões, da leitura originalmente reportada de 4,57 milhões.

Na Itália, o FTSE MIB recuou 1,29%, para 16.734,75 pontos. Entre os bancos, UniCredit perdeu 3,29%, Intesa Sanpaolo caiu 1,97% e Banca Monte dei Paschi teve queda de 2,02%. Em Madri, o índice Ibex 35 caiu 0,89%, para 8.490,90 pontos. BBVA recuou 2,98%, Banco Santander teve queda de 2,51% e Banco Popular Español caiu 2,53%.

O índice CAC 40, da Bolsa de Paris, recuou 0,10%, para 3.527,37 pontos. Os bancos registraram quedas. Société Générale caiu 1,8%, Crédit Agricole teve baixa de 1,3% e BNP Paribas recuou 0,9%. Carrefour também registrou queda, de 1,7%.

Na Bolsa de Frankfurt, o índice DAX subiu 0,23%, fechando a 7.071,32 pontos. Metro AG registrou queda de 3% após HSBC e Citigroup avaliarem de maneira negativa os resultados da companhia divulgados na terça-feira. Adidas recuou 2,3% depois de o Morgan Stanley rebaixar os papéis da empresa. Deutsche Boerse subiu 3,1%, Bayer teve alta de 1,5% e Fresenius Medical Care avançou 1,4%.

Em Londres, o índice FTSE registrou alta de 0,01%, a 5.891,95 pontos. Sainsbury teve maior avanço, de 4,5%, após reportar um aumento de 4,6% nas vendas do quarto trimestre. Por outro lado, Weir Group registrou a maior queda, de 6,2%. Rio Tinto caiu 0,8%, BHP Billiton teve baixa de 0,9% e Antofagasta caiu 0,8%.

Em Portugal, o índice PSI 20, da Bolsa de Lisboa, teve alta de 0,29%, para 5.659,60 pontos. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Europabolsasbancosfechamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.