Banif deve anunciar em 10 dias venda de corretora para SulAmérica

Oficialmente, o Banif confirma que "recebeu propostas referentes à sua corretora no Brasil" mas diz que "não emite declarações sobre esses proponentes"

Altamiro Silva Júnior, da Agência Estado,

31 de maio de 2010 | 08h41

O Banco Banif tem como meta anunciar em dez dias a venda de sua corretora no Brasil para a SulAmérica. Segundo duas fontes próximas da operação, as negociações estão praticamente fechadas. Oficialmente, o Banif confirma que "recebeu propostas referentes à sua corretora no Brasil" mas diz que "não emite declarações sobre esses proponentes", destaca em nota envida pelo banco à Agência Estado. Segundo as duas fontes, oito bancos procuraram o Banif interessados em sua corretora, principalmente pelo home broker que conta com 28 mil clientes.

A SulAmérica, que perdeu no mês passado a parceria com o Banco do Brasil no mercado de seguros, teria na corretora do Banif a chance de ter um canal no varejo e mais um mercado para a venda de seguros. A seguradora não tem corretora de valores, mas possui uma gestora de recursos, forte em multimercado e previdência que também poderia ter sinergias com a corretora.

Além disso, a SulAmérica tem R$ 1 bilhão em caixa e já anunciou a intenção de fazer aquisições em áreas estratégicas. Procurada pela Agência Estado, a SulAmérica não se pronunciou. Fonte próxima disse que o negociação com o banco português já foi informado aos  membros do conselho de administração da seguradora e para diretores da corretora do Banif. O valor da operação seria de 96 milhões de euros (R$ 215 milhões).

A corretora do Banif tem sido sondada por bancos interessados em sua aquisição desde o começo do segundo semestre do ano passado. Com as propostas chegando, o Banif contratou o Credit Suisse para cuidar da venda.

Na semana passada, dia 20, faleceu o presidente e acionista majoritário do grupo Banif, o comendador Horácio Roque, de 66 anos. Segundo uma das fontes, os problemas de saúde do português foi um dos fatores que influenciou o grupo a colocar a venda parte das operações no Brasil.

Os bancos estrangeiros estão interessados em ampliar presença no mercado de investimentos em ações no Brasil. No final de abril, o suíço UBS comprou a corretora Link. O francês BNP também está interessado em comprar um corretora, segundo o presidente do banco no Brasil, Louis Bazire em entrevista à Agência Estado no dia 17 de março.

Tudo o que sabemos sobre:
banifsulaméricacorretora

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.