Barril de petróleo cai mais de 1% em Londres e NY

Os preços dos contratos futuros de petróleo apresentam queda superior a 1% esta manhã, em Londres e Nova York. O movimento é atribuído às vendas promovidas por fundos, depois da disparada de preços, frustrada, ocorrida ontem. Às 9h35 (de Brasília), o contrato do petróleo tipo Brent para entrega em fevereiro estava em baixa de 1,13%, em US$ 54,97 o barril, na plataforma eletrônica de negociações ICE, em Londres. Na mínima do dia até este horário, o contrato caiu a US$ 54,48, aproximando-se da mínima dos últimos 13 meses, de US$ 54,41. No pregão eletrônico da Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex), o petróleo West Texas para fevereiro recuava 1,44% a US$ 55,30 o barril. "Se o preço cair abaixo de US$ 54,41, acho que veremos mais fundos vendendo", disse um operador em Londres. Os principais vendedores parecem ser os fundos institucionais, pegos no contrapé quando o mercado caiu fortemente na semana passada. Eles foram forçados a reduzir as perdas vendendo durante os pequenos ralis a partir dos preços atuais. Boa parte da onda de vendas na semana passada foi atribuída às temperaturas acima do normal no Nordeste dos EUA. A paralisação do fluxo de óleo russo pela Bielo-Rússia deu algum suporte aos preços ontem, mas a ampla oferta na Alemanha, Polônia e Ucrânia deve manter as refinarias abastecidas. Os operadores acreditam que a aproximação da divulgação dos dados semanais de estoques nos EUA, que o Departamento de Energia publicará amanhã, pode estar aumentando a pressão sobre os preços. Um esperado aumento nos estoques de petróleo e de óleo para calefação está piorando o humor do mercado, afirmaram. As informações são da agência Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.