BC: IED em 12 meses é o mais alto da série

Segundo chefe do Departamento Econômico do BC, o IED deve fechar o mês com saldo positivo de US$ 4,3 bilhões

Renato Andrade e Fabio Graner, da Agência Estado ,

26 de abril de 2011 | 12h11

Os investimentos estrangeiros diretos (IED) somaram US$ 6,791 bilhões em março, elevando para US$ 17,473 bilhões o resultado registrado até agora em 2011, o que representa 3,12% do Produto Interno Bruto (PIB). Nos últimos 12 meses, os investimentos estrangeiros diretos totalizaram US$ 60,399 bilhões ou 2,81% do PIB, de acordo com dados divulgados nesta terça-feira pelo Banco Central.

O Brasil registrou um déficit de US$ 5,676 bilhões em suas transações correntes em março. No primeiro trimestre, o déficit acumulado atingiu US$ 14,631 bilhões, o equivalente a 2,61% do PIB. Nos últimos 12 meses encerrados em março, a conta corrente brasileira tem um saldo negativo de US$ 50,047 bilhões ou 2,33% do PIB.

O chefe do Departamento Econômico do Banco Central, Túlio Maciel, informou hoje que o IED tem superado o déficit externo. Ele explicou que o IED de US$ 6,791 bilhões em março foi o maior para o mês na série. O saldo de US$ 17,473 bilhões do primeiro trimestre, segundo Maciel, foi recorde para o período, assim como os US$ 60,399 bilhões acumulados em 12 meses.

Em abril até hoje, os ingressos de IED somam US$ 4 bilhões. Ele projetou que o IED deve fechar o mês com saldo positivo de US$ 4,3 bilhões. Para a conta corrente, Maciel prevê um saldo negativo de US$ 5,2 bilhões em abril.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.