BC realiza leilão de swap cambial reverso de US$ 1 bilhão

Cada instituição poderá fazer até cinco propostas, informando a quantidade de contratos e a respectiva cotação com quatro casas decimais

Fabio Graner, da Agência Estado,

27 de janeiro de 2011 | 11h39

O Banco Central (BC) informou hoje que realizará, das 11h30 às 12 horas (horário de Brasília), leilão de cerca de US$ 1 bilhão em swaps cambiais reversos. Na operação, serão ofertados até 6 mil contratos com vencimento em 1/4/2011, até 7 mil contratos com vencimento em 1/7/2011 e até 7 mil contratos com vencimento em 2/1/2012, perfazendo um total de até 20 mil contratos.

O resultado do leilão será divulgado a partir das 12h15. Cada instituição poderá fazer até cinco propostas, informando a quantidade de contratos e a respectiva cotação com quatro casas decimais.

O swap cambial reverso é um contrato feito entre o BC e instituições financeiras no mercado futuro. O swap vem do inglês "troca". Nesse caso, é feita uma troca de rentabilidades: dólar por juro. No período de vigência do contrato, o BC ganha a variação do dólar, a ser paga pelos bancos. As instituições financeiras, por sua vez, ficam com a remuneração da taxa Selic, que será bancada pelo governo.

Como o BC fica com a variação do dólar, seja ela positiva ou negativa, a colocação desses contratos equivale à compra da moeda pelo BC. Por essa característica, swaps reversos podem elevar as cotações do dólar. O termo "reverso" é usado porque originalmente, quando começaram a ser utilizados, os contratos de swap funcionavam de forma inversa: o BC pagava a variação do dólar e recebia o juro. Esse instrumento foi utilizado em momentos em que, ao contrário do que ocorre hoje, faltam dólares no mercado, como na crise de 2008 e 2009.

Tudo o que sabemos sobre:
câmbiodólarBCswapreverso

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.