BCE não tem planos de adotar relaxamento quantitativo

O Banco Central Europeu (BCE) não tem planos no momento de expandir sua política de relaxamento monetário por meio da compra de dívidas de governos da zona do euro, afirmou o membro do conselho diretor do BCE Christian Noyer, em entrevista publicada neste sábado pela revista semanal alemã WirtschaftsWoche.

Estadão Conteúdo

20 de setembro de 2014 | 11h45

Nos últimos anos, o balanço do BCE vem encolhendo, mas outras grandes autoridades monetárias, como o Federal Reserve (dos EUA) e o BoJ (do Japão), têm expandindo os seus por meio de compras em larga escala de dívida pública e privada, numa política conhecida como relaxamento quantitativo. "Não há planos de relaxamento quantitativo - primeiro, estamos esperando ver os resultados que as medidas de política monetária de junho e setembro vão trazer", disse Noyer, que também é presidente do BC da França, à publicação alemã.

Em junho, o BCE anunciou cortes de juros e um programa de empréstimos baratos de quatro anos (conhecidos como TLTROs) para bancos da zona do euro. No começo deste mês, o BCE voltou a reduzir juros e anunciou planos de comprar ativos do setor privado. Nessa última ocasião, o presidente do BCE, Mario Draghi, sugeriu que ainda está na mesa a possibilidade de relaxamento quantitativo. "Haverá resultados mais definitivos em cerca de 18 meses, embora nós certamente veremos resultados intermediários antes disso", comentou Noyer sobre as medidas.

A primeira oferta de TLTROs, realizada na quinta-feira, atraiu menos interesse do que o esperado. Analistas dizem que a demanda fraca pelos empréstimos pode gerar pressão para o BCE iniciar um programa de relaxamento quantitativo. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
BCErelaxamento quantitativo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.