Bear Stearns dá nota acima da média para ações da Copasa

O banco de investimentos Bear Stearns divulgou ontem relatório de início de cobertura da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa), com rating outperform (acima da média do mercado). O preço-alvo para o fim do ano é de R$ 26 por ação, valor 30,9% maior que os R$ 19,86 registrados no fechamento de terça-feira da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa). A companhia tem ações negociadas no Novo Mercado da Bovespa. O potencial de valorização baseia-se nas boas perspectivas que o Bear Stearns avalia que a Copasa tem pela frente, como o potencial de expansão dos serviços de esgoto e a expectativa de que o tucano Aécio Neves seja reeleito para o governo de Minas Gerais. Segundo o relatório, a continuidade da gestão assegura à companhia mais quatro anos de incrementos de tarifas ligeiramente acima da inflação. As tarifas da Copasa são menores que as da Sabesp e Sanepar, mas o Bear Stearns avalia que essa lacuna deve ser reduzida com reajustes acima da inflação pela empresa mineira. O Bear Stearns destaca as perspectivas de aumento das concessões de esgoto nos municípios em que a Copasa já detém concessões de água. No momento, a Copasa possui concessão de água em 609 dos 853 municípios de Minas Gerais, atendendo cerca de 57% da população do estado, mas tem concessão de esgoto em apenas 175 municípios. As ações da Copasa tiveram significativa baixa performance desde o lançamento inicial de ações (IPO), em 7 de fevereiro de 2006. Os papéis tiveram desvalorização de 15,5%, enquanto o Ibovespa, principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo, caiu 1,8% e as ações da Sabesp registraram alta de 50,2%.

Agencia Estado,

21 de setembro de 2006 | 07h00

Tudo o que sabemos sobre:
ações

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.