BES diz que exposição ao Grupo é limitada

O Banco Espírito Santo (BES) disse nesta sexta-feira que acredita que as perdas relacionadas com a exposição da instituição e do grupo são "limitadas" e totalmente amortecidas pelo capital adicional do banco. O BES também afirmou que tem o compromisso de não elevar sua exposição total para o conglomerado português que controla a instituição financeira, conhecida como Espírito Santo Financial Group SA.

AE, Agência Estado

11 de julho de 2014 | 08h17

As ações do banco e da holding estão suspensas desde quinta-feira na Bolsa de Lisboa, após as fortes perdas pressionadas pelos relatos de irregularidades contábeis no grupo, assim como o atraso no pagamento de cupons de títulos de curto prazo.

No comunicado divulgado hoje, o Banco Espírito Santo informou detalhes sobre a sua exposição, que está fixada no valor de 1,18 bilhão de euros (US$ 1,61 bilhão) por meio de empréstimos e valores mobiliários, com garantias de apenas 56,9 milhões de euros.

O BES acrescentou que o seu capital adicional está acima do nível regulamentar para os bancos europeus. Também afirmou que seis clientes de varejo mantêm 853 milhões de euros em papéis comerciais emitidos por quatro empresas que fazem parte do grupo. Além disso, a instituição financeira tem, sob custódia, pouco mais de 2 bilhões de euros em dívida nominal de investidores institucionais. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
PortugalBanco Espírito SantoCrise

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.