Biodiesel começa a ser vendido em SP a partir de 2ª

O biodiesel, na proporção de 2% misturado ao diesel (B2), começará a ser vendido a partir de segunda-feira que vem em pelo menos 20 postos de combustíveis da região de Campinas (SP). A Distribuidora Aspen, primeira a fornecer o produto para o varejo em São Paulo, divulgou hoje que 300 postos no Estado serão abastecidos com o B2 nos próximos três meses. O gerente comercial da distribuidora, Wonei Nardari, afirmou que o B2 terá o mesmo preço do diesel convencional nas bombas.O biodiesel será fornecido à Aspen pela Fertibom, indústria de fertilizantes líquidos de Catanduva, atualmente com capacidade para produzir 12 milhões de litros de biodiesel por ano. O diretor da empresa, Geraldo Martins, disse que a partir do próximo ano a capacidade será ampliada para 40 milhões de litros anuais.A Fertibom não pode comercializar o biodiesel diretamente aos postos. O produto deve ser misturado e fornecido por uma distribuidora, comentou Martins. A fiscalização no varejo é responsabilidade da Agência Nacional de Petróleo (ANP). Cada produtor será identificado por um marcador químico obrigatório.O biodiesel da Fertibom é obtido basicamente a partir de gordura animal, adquirida de empresas que processam sobras de abatedouros. Martins acrescentou, entretanto, que a indústria testou pelo menos 20 oleaginosas diferentes para produção do combustível ecológico.TributaçãoA questão tributária ainda é um entrave à produção, comentou ele. Martins informou que o biodiesel não é fiscalmente reconhecido em São Paulo, recolhe 18% de ICMS, enquanto o diesel paga 12%. "Do ponto de vista federal, a tributação do biodiesel é equivalente ou superior à do diesel." De acordo com ele, essas questões precisam ser ajustadas."A Argentina isentou a cadeia de biodiesel por 10 anos para garantir uma curva de aprendizado", citou Martins. Na prática, o biodiesel é um pouco mais caro que o diesel. Mas Nardari diz que a Aspen não irá repassar a diferença ao consumidor num primeiro momento.O gerente comentou que a expectativa é de comercializar 300 mil litros de B2 nos próximos 10 dias. A Aspen fornecerá o produto para postos de combustíveis que não tenham contrato de exclusividade com distribuidoras específicas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.