BM&FBovespa estuda emissão de dívida

Outra alternativa em estudo seria fazer o pagamento integral apenas com recursos do caixa

Ana Paula Ribeiro, da Agência Estado,

24 de fevereiro de 2010 | 15h02

A BM&FBovespa poderá fazer uma emissão de dívida para compor os recursos necessários para pagar os US$ 620 milhões referentes ao aumento de participação no CME Group de 1,8% para 5%. Essa emissão será de no máximo 50% do valor do pagamento, segundo o diretor presidente da empresa, Edemir Pinto. "Se formos buscar os recursos via emissão de dívida, a emissão não será superior a 50% do necessário", afirmou, em entrevista coletiva.

 

Além da emissão de dívida, de acordo com o executivo, outra alternativa em estudo seria fazer o pagamento integral apenas com recursos do caixa. O caixa próprio da companhia ao final do quarto trimestre do ano passado era de R$ 2,39 bilhões. A BM&FBovespa afirma não possuir dívidas.

 

De acordo com Edemir, a BM&FBovespa não estuda nenhuma outra parceria nos moldes da realizada com a CME. "Queríamos casar e casamos uma vez só", disse. No entanto, segundo ele, a parceria firmada com a maior bolsa do mundo, sediada em Chicago, não exclui iniciativas de cada parte na busca de novos acordos operacionais. "Por exemplo, estamos estudando com bolsas asiáticas uma dupla listagem", disse.

 

A assembleia de acionistas para votar a parceria com a CME, anunciada no dia 11 de fevereiro, deverá ocorrer em 20 de abril.

Tudo o que sabemos sobre:
BM&FBovespa, CME

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.