BM&FBovespa torna-se 2ª maior bolsa do mundo

Bolsa atingiu um valor de mercado de R$ 30,4 bilhões, que foi 25% maior que o das três principais bolsas do mundo: Nova York, Londres e Nasdaq

Kelly Lima, da Agência Estado,

24 de setembro de 2010 | 09h59

O presidente da BM&FBovespa, Edemir Pinto, disse hoje que a capitalização da Petrobrás fez com que a Bolsa atingisse a segunda colocação no mercado mundial no fechamento do pregão de ontem. Segundo ele, a Bolsa atingiu um valor de mercado de R$ 30,4 bilhões, que foi 25% maior que o das três principais bolsas do mundo: Nova York, Londres e Nasdaq.

Em cerimônia na abertura do pregão de hoje, que conta com a presença do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ele disse que a capitalização da estatal é um "marco para nosso mercado que simboliza a magnitude da capitalização da Petrobras para o Brasil e para o mundo". "A história da economia brasileira e do mercado mundial de capitais passa a se dividir em antes e depois da capitalização da Petrobrás", disse.

Ele fez uma série de elogios à gestão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, mas também aproveitou a oportunidade para cobrar do governo a redução de taxas e a concessão de maiores incentivos à entrada de novos investidores no mercado de capitais. "Devemos buscar novos patamares de excelência. Pedimos uma mudança na cobrança do IOF (Imposto sobre Operações Financeiras). Não faz sentido a incidência deste custo, que impacta diretamente sobre as empresas de pequena e médio porte que poderiam estar utilizando a Bolsa", disse.

Segundo ele, desde 2004, 150 companhias foram atraídas para a Bolsa. "Ao final de 2014, queremos chegar aos cinco milhões de acionistas ante os 600 mil de hoje. Divulgo também que vamos reduzir os custos para os pequenos investidores na Bolsa para atrair mais 200 companhias. E esta é uma meta conservadora", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.