BNDES aprova crédito de R$ 719,4 mi para expansão da CST

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) anunciou a aprovação de financiamento de R$ 719,4 milhões para a Companhia Siderúrgica de Tubarão (CST), subsidiária integral da Arcelor Brasil. O financiamento do BNDES corresponde a 28% dos R$ 2,57 bilhões do investimento total para o aumento de 50% da capacidade produtiva da siderúrgica, que deverá passar de 5 milhões de toneladas para 7,5 milhões de toneladas, a partir do primeiro trimestre de 2007.O novo alto-forno da CST terá capacidade instalada para produzir 2,8 milhões de toneladas de ferro-gusa. A expansão da siderúrgica abrange também investimentos na aciaria, nova linha de lingotamento contínuo, aumento dos pátios de estoques, além de aportes em logística. A produção de placas terá como destino as exportações e a de bobinas laminadas, o mercado interno, incluindo a controlada Vega do Sul. O projeto de expansão prevê também investimentos na Sol Coqueria, com capacidade produtiva anual de 1,5 milhão de toneladas. A CST detém 62% de participação na Sol Coqueria.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.