Boeing descarta planos de abrir fábrica na China

A Boeing não tem planos de seguir a Airbus e abrir uma fábrica na China, disse o presidente da Boeing para a China, David Wang. "Não temos planos de construir uma linha de montagem agora", afirmou, durante um evento do setor. "Não acreditamos que investimentos simbólicos levem a boas parcerias de negócios." A Boeing e a Airbus competem fortemente por fatia de mercado no país asiático, o que mais cresce no mundo. A fabricante de aviões norte-americana afirma que as operadoras chinesas vão comprar 2,9 mil novos aviões no valor de US$ 280 bilhões nos próximos 20 anos. Na semana passada, a Airbus assinou acordos para abrir uma fábrica na China, sua primeira unidade fora da Europa, e o país encomendou 150 aviões de médio porte do modelo A320. Os aviões serão montados em Tianjin com componentes produzidos na Europa. Segundo Wang, a Boeing já está contribuindo para a economia chinesa trabalhando com fornecedores de peças locais. A companhia afirma ter comprado componentes fabricados pelos chineses, como portas e partes da asa, no valor total de US$ 730 milhões nas últimas duas décadas. A Boeing responde por cerca de 60% da frota de aproximadamente 900 aviões comerciais da China, enquanto a Airbus afirma que suas aeronaves representam cerca de 35% do total. As operadoras chinesas fizeram encomendas de 220 aviões Boeing nos últimos dois anos, e as entregas devem começar em 2008. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.