Bolsa abre em alta de 0,11% e fluxo dita ritmo

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) abriu em alta de 0,11% hoje, mas pode ensaiar uma realização de lucros. Uma correção de preços hoje seria bastante natural, dado que a Bolsa acumulou na primeira semana de maio valorização de 2,6%. Mas se continuar entrando dinheiro - na sexta-feira o Ibovespa bateu o 21º recorde de pontuação (41.417 pontos) com giro de R$ 3,1 bilhões - a tendência é o mercado assimilar o movimento de realização de lucros. Analistas afirmam que há espaço para a Bovespa seguir em frente, rumo aos 42/43 mil pontos. A expectativa é de que as ações da Petrobras se ajustem hoje à declaração do presidente da Bolívia, Evo Morales, de que espera aumento de US$ 2 no preço do gás vendido ao Brasil, equivalente a um reajuste de 61,34%, e as declarações do presidente Lula de que a estatal vai absorver o impacto do reajuste. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva tem reiterado que não vai faltar gás no País e que o preço do combustível não vai subir, o que significa que a Petrobras deverá absorver o aumento. Segundo Lula, o preço do gás vai aumentar quando houver a renovação de contrato. Os investidores devem avaliar hoje o impacto de um aumento desse tamanho nas contas da empresa. A volta do escândalo do Mensalão às manchetes dos jornais, reavivando a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Bingos, por conta da entrevista do ex-secretário-geral do PT Silvio Pereira deve ter efeito neutro nos negócios. A CPI deve ouvir Silvio Pereira na quarta-feira. O ex-secretário do PT disse que o publicitário Marcos Valério planejava faturar até R$ 1 bilhão no Governo Lula. Outro motivo de cautela é a reunião do Comitê de Mercado Aberto do Federal Reserve(Fomc), na quarta-feira, que deve elevar o juro básico para 5% ao ano. Esse é um dos motivos para o fraco desempenho dos índices futuros de ações em Nova York esta manhã somado a agenda esvaziada do dia. Pouco antes das 10h, tanto o Nasdaq futuro quanto o S&P 500 avançavam 0,03%. A agenda de indicadores ganha força só a partir de quinta-feira, com a divulgação das vendas no varejo em março. Na sexta-feira, saem a balança comercial de março e o índice de sentimento do consumidor da Universidade de Michigan. As ações do Bradesco devem concentrar as atenções na abertura do pregão. O banco anunciou hoje cedo lucro trimestral de R$ 1,530 bilhão, crescimento de 26,9% ante igual período do ano passado. O número ficou levemente abaixo das projeções dos analistas ouvidos pela AE, de R$ 1,592 bilhão. Após o fechamento, sai o resultado de Brasil Telecom Participações, cuja estimativa é de prejuízo de R$ 37,7 milhões, equivalente a uma queda de 50,5% sobre os R$ 76,1 milhões de igual período do ano passado. Também está previsto para hoje a divulgação dos balanços de Sadia, Localiza, Gafisa e Duratex. A semana é forte em divulgações de balanços. Amanhã saem os números de Itaú, Itaúsa, Usiminas. Na quarta, tem Vale do Rio Doce, Eletropaulo, CPFL, AES Tietê, Pão de Açúcar entre outros. Na quinta, os destaque são Unibanco e Eletropaulo. A semana termina com Petrobras, Arcelor, Light e Transmissão Paulista anunciando resultado trimestral.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.