Estadão
Estadão

Bolsa acumula perda de 3,6% na semana

No dia, Ibovespa cedeu 0,96%, aos 50.094 pontos, na contramão de Nova York

Fabrício de Castro, O Estado de S. Paulo

27 de março de 2015 | 17h43

A sexta-feira marcou o fim de mais uma semana de perdas para a Bovespa, com investidores e operadores citando os motivos de sempre para vender ações: desconfiança com a economia e crise política. A expectativa pela divulgação do balanço da Petrobrás, ainda sem data exata, permeou os negócios, enquanto Vale foi penalizada pelo recuo do minério de ferro no exterior.

Neste cenário, o Ibovespa - índice de referência da Bolsa brasileira - cedeu 0,96%, aos 50.094,66 pontos, na contramão de Nova York, onde os principais índices de ações subiram. Na semana, a Bolsa acumulou perda de 3,60%. No mês, o recuo acumulado é de 2,89% e, no ano, há leve alta de 0,18%.


Pela manhã, a Petrobrás contribuía para o recuo da Bovespa, com investidores vendendo ações em função da decepção de não terem notícias sobre o balanço auditado do terceiro trimestre e de todo o ano de 2014, após a reunião de ontem do Conselho de Administração. À tarde, houve certo alento, após o ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, afirmar que, na próxima assembleia geral, os acionistas deverão eleger a nova composição do conselho e só então uma nova assembleia extraordinária será convocada para avaliação dos números.

A empresa fará Assembleia Geral Ordinária e Extraordinária em 29 de abril para eleger seus novos conselheiros, entre eles Murilo Ferreira na presidência do grupo. Antes da Assembleia, haverá outra reunião do Conselho de Administração, em 17 de abril, quando se espera, mais uma vez, a discussão sobre o balanço. Um gestor comentou que é um alento ter mais um prazo para divulgação do balanço, mas ele 'está muito longe', muito próximo da data final que a petrolífera tem para apresentar os números. "Se der algo errado, estará muito em cima", advertiu. No fim, Petrobras ON ainda indicou leve queda, de 0,11%, Petrobrás PN teve ganho de 0,32%.

Já a Vale recuou de forma consistente: -3,01% a ON e -2,74% a PN. A mineradora seguiu sofrendo com os preços em baixa do minério de ferro no mercado internacional. Hoje, por exemplo, o minério atingiu os US$ 54,1 a tonelada seca no mercado à vista chinês, com perda acumulada de 1,6% na semana. Este também é o menor valor para o minério desde o início da série histórica, no fim de 2008.

Destaque ainda para o recuo dos papéis da Gerdau PN (-9,14%) e da Metalúrgica Gerdau (-8,79%), depois que a empresa anunciou proposta de nova estrutura de governança corporativa. A empresa deve deixar o Nível 1 de Governança Corporativa da BM&FBovespa e isso não agradou aos investidores.

No geral, a Bovespa pouco reagiu aos números do crescimento brasileiro, após o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informar que o País avançou 0,1% no ano passado. O resultado veio dentro do intervalo das estimativas dos analistas consultados pelo AE Projeções, que esperavam de queda de 0,20% a expansão de 0,20%, que resultou em mediana com variação zero. Já no quarto trimestre de 2014 houve alta de 0,3% do PIB ante o trimestre anterior, melhor que a mediana projetada de -0,10% (intervalo entre queda de 0,40% e alta de 0,40%).

Em Nova York, os principais índices avançaram: o Dow Jones subiu 0,19%, aos 17.712,66 pontos, o S&P 500 subiu 0,24%, aos 2.061,02 pontos, e o Nasdaq teve alta de 0,57%, aos 4.891,22 pontos.

Tudo o que sabemos sobre:
ibovespaBM&Fbovespa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.