Bolsa amplia perdas com CPI da Petrobrás e dólar oscila

Projeções do BC de recessão e inflação acima da meta também contribuíram para as perdas

O Estado de S. Paulo

26 de março de 2015 | 10h49

(Atualização às 14h50)

A Bovespa ampliou as perdas nesta quinta-feira, 26, com o depoimento de Graça Foster à CPI para apurar o esquema de corrupção na Petrobrás e a perspectiva de recessão e inflação acima da meta do Banco Central, ambas divulgadas no Relatório Trimestral de Inflação (RTI). Essa avaliação do BC, juntamente com o aumento da taxa de desemprego nas principias regiões metropolitanas brasileiras em fevereiro, para 5,9%, embutem uma maior propensão para devolução de prêmios na renda fixa. 

Às 14h50, o Ibovespa recuava 2,13%, cotado em 50.752 pontos. Já o dólar reverteu a queda do início da manhã e passou a subir 0,06%, negociado a R$ 3,19.

Além disso, a Bolsa não conseguiu se desvencilhar das perdas verificadas nos mercados internacionais. Os investidores avaliam a ação militar no Iêmen, as incertezas envolvendo a Grécia e os recentes dados mais fracos sobre a economia norte-americana. 

A aversão ao risco, no exterior, e o Relatório de Inflação do BC, trouxeram volatilidade aos negócios com dólar, logo na abertura da sessão de hoje. A moeda norte-americana chegou a abrir em alta, mas logo passou a oscilar e embutir perdas.

A tentativa de ganho nas ações da Petrobrás, em meio à alta do petróleo no exterior e à expectativa pela divulgação do balanço auditado, ajuda a limitar a trajetória doméstica. 

Em depoimento ao Congresso, Graça Foster, deixou a presidência da estatal petroleira, negou que a presidente Dilma Rousseff a tenha proibido de divulgar as perdas estimadas com corrupção no balanço da companhia - um cálculo inicial apontou R$ 88 bilhões em ativos superestimados. 

A companhia esclareceu, logo cedo, que "está avaliando o tratamento contábil adequado para os pagamentos indevidos identificados no âmbito das investigações relativas à Operação Lava Jato". O Estado apurou que a Petrobrás corre contra o tempo para divulgar os resultados financeiros auditados até o fim desta semana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.