Bolsa cai 0,07% e acumula perda de 1,71% na semana

Mas no mês, o Ibovespa está positivo em 0,49%

Sueli Campo, da Agência Estado ,

25 de fevereiro de 2011 | 18h46

Após uma manhã animada, quando subiu 1%, o índice Bovespa inverteu o sinal no começo da tarde, pressionado por um movimento pontual de realização de lucros na Vale, após a mineradora ter anunciado um lucro recorde em 2010. No decorrer da tarde, o mercado doméstico de ações se manteve cauteloso, com os investidores reduzindo posições para não passar o final de semana muito expostos ao risco dada a gravidade da situação política na Líbia.

O Ibovespa fechou em baixa de 0,07%, aos 66.902,53 pontos, depois de ter registrado na máxima alta de 1,02%, aos 67.632 pontos, e a mínima de -0,92%, para 66.331 pontos. Esta não foi uma boa semana para o mercado brasileiro de ações, que acumula perda de 1,71% no período. Mas no mês, o Ibovespa está positivo em 0,49%.

As ações da Vale, que pela manhã chegaram a subir mais de 2%, encurtaram a alta, mas apenas por motivos técnicos, pois o balanço financeiro da companhia foi muito bem recebido por analistas. Segundo operadores, uma corretora vendeu um lote grande de papéis num movimento puramente de realização de lucros. Vale PNA fechou em ligeira alta de 0,02% e Vale ON avançou 0,34%.

A maior empresa de minério de ferro do mundo teve lucro líquido de US$ 5,917 bilhões no quarto trimestre de 2010, 289,5% acima do mesmo período de 2009, no padrão contábil norte-americano (US GAAP). No acumulado do ano, o lucro líquido da Vale cresceu 222,7%, para US$ 17,264 bilhões, maior lucro da história da empresa. A expectativa dos analistas é de que a mineradora continuará entregando bons resultados também em 2011, ainda refletindo a alta dos preços do minério de ferro.

No caso de Petrobrás, o comportamento das ações se mantém atrelado ao preço do petróleo, que após ter se estabilizado durante boa parte do dia, voltou a subir no final da tarde. Assim, Petrobrás PN terminou o dia em alta de 0,81% e Petrobrás ON subiu 1,39%. Logo após o fechamento do pregão, a estatal reportou lucro líquido de R$ 10,602 bilhões no quarto trimestre de 2010, uma expansão de 38,38% em relação ao mesmo período do ano anterior (R$ 7,661 bilhões). No acumulado de 2010, o lucro líquido totalizou R$ 35,189 bilhões, com elevação de 17% ante o ano anterior. De acordo com a empresa, é o maior resultado anual da história da companhia.

Em Londres, o barril do petróleo Brent foi cotado US$ 112,14, alta de 0,70%, e em Nova York, o barril do petróleo WTI fechou a US$ 97,88, valorização de 0,62%. De qualquer forma, a alta é mais branda do que a observada nos outros dias. O mercado deu uma acalmada de ontem à noite para cá reagindo a declarações de autoridades da Casa Branca, da Agência Internacional de Energia e da Arábia Saudita de que há reservas suficientes para compensar a produção líbia.

Nos EUA e na Europa, as bolsas tiveram hoje um respiro pela primeira vez na semana. O índice Dow Jones fechou em alta de 0,51%; o S&P-500 avançou 1,06% e o Nasdaq, +1,58%. A Bolsa de Londres teve ganho de 1,37% e a de Frankfurt subiu 1,51%.

Tudo o que sabemos sobre:
BolsaBovespaaçõesValePetrobras

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.