Dario Oliveira|Estadão
Dario Oliveira|Estadão

Bolsa cai 0,45% e dólar fecha a R$ 3,14 após lista de Fachin

Temor do mercado quanto à aprovação da reforma da Previdência cresce com chegada da Lava Jato ao alto escalão do governo

O Estado de S.Paulo

11 de abril de 2017 | 17h52

A Bolsa fechou em queda no pregão desta terça-feira, 11, e o dólar avançou após a abertura de 83 inquéritos no âmbito da Lava Jato pelo ministro Edson Fachin, relator da investigação no Supremo Tribunal Federal (STF). O Estado teve acesso a despachos do ministro Fachin, assinados eletronicamente no dia 4 de abril.

A investigação envolve nove ministros do governo Temer, 29 senadores e 42 deputados federais - entre eles os presidentes das duas Casas - e motivou temores do mercado, principalmente quanto à aprovação da reforma da Previdência, uma vez que o núcleo duro do governo foi atingido pela abertura dos inquéritos.

O Índice Bovespa encerrou os negócios em baixa de 0,45%, aos 64.359,79 pontos. Já o dólar fechou em alta de 0,18%, aos R$ 3,1421.

"A governabilidade pode ficar comprometida com a indicação dos ministros. Além disso, há vários integrantes da base governista na lista e pode prejudicar a aprovação da reforma da Previdência", comentou o chefe da mesa de operações de uma corretora local.

Até a públicação da notícia, já na reta final do pregão, o dólar tinha leves variações ante o real por conta da percepção de que o governo conseguiria aprovar a reforma da Previdência, após esforços do governo junto à base aliada.

Até o momento, segundo o Placar da Previdência do Estadão, os votos a favor da reforma contabilizavam 101 contra 273 contrários, além de outros parlamentares que discordam de alguns pontos da reforma./COM REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.