Bolsa cai 1,58% após tombo de Petrobrás e bancos

Papéis tem forte domínio no Ibovespa que, desta forma, sucumbiu e retornou ao patamar de 53 mil pontos

Claudia Violante, Agência Estado

25 de junho de 2014 | 17h36

Se a Bovespa conseguiu se safar de uma queda no fechamento passado, nesta quarta-feira, 25, não teve a mesma sorte. Além de Petrobrás repetir o tombo da véspera, também bancos registraram recuo bastante firme. Esses papéis respondem por uma gorda fatia do Ibovespa que, desta forma, sucumbiu e retornou ao patamar de 53 mil pontos.  

O Ibovespa terminou a sessão em queda de 1,58%, aos 53.425,74 pontos. Na mínima do dia, registrou 53.363 pontos (-1,69%) e, na máxima, 54.393 pontos (+0,21%). No mês, acumula ganho de 4,27% e, no ano, de 3,73%. O giro financeiro totalizou R$ 6,302 bilhões.  

Um operador comentou que os investidores estrangeiros foram presença firme na venda de ativos e Petrobrás, depois da notícia de que terá que pagar R$ 2 bilhões de 'bate-pronto' para explorar quatro campos para o governo - obtidos sem licitação. Assim, o papel foi um dos mais castigados. O problema de caixa da estatal junto com a falta de uma política para o reajuste dos combustíveis - ao menos pública - são os principais problemas da Petrobrás, além do fato de o governo 'mexer seus pauzinhos' para conseguir melhorar o superávit fiscal. 

Petrobrás ON recuou 3,34% hoje e a PN, 1,98%, acumulando em quatro sessões seguidas de perdas 9,43% e 9%, respectivamente.  

Os bancos também tombaram hoje, sobretudo os privados, depois de os dados de crédito do Banco Central mostrarem avanço dos públicos na participação do crédito, ante previsão de que essa fatia reduziria, e a inadimplência ter subido. A participação na concessão de crédito dos públicos passou de 52,2% para 52,4%, de abril para maio, e a dos privados nacionais recuou de 32,6% para 32,5%. A inadimplência passou de 4,8% para 5%. 

Bradesco PN caiu 4,57% e ON, 4,32%, primeira e segunda maiores baixas do Ibovespa. Itaú Unibanco PN recuou 3,18%, BB ON, 1,28%, e Santander unit, 2,25%. 

Vale ON recuou 0,17% e PNA subiu 0,08%.

Nos EUA, as bolsas subiram, apesar do PIB do país no primeiro trimestre ter vindo abaixo das projeções. O Dow Jones terminou com ganho de 0,29%, aos 16.867,51 pontos, o S&P ganhou 0,49%, aos 1.959,53 pontos, e o Nasdaq teve elevação de 0,68%, aos 4.379,76 pontos. O PIB do país recuou 2,9%, ante projeção de -2% e ante -1% na leitura anterior.  

Tudo o que sabemos sobre:
Bovespa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.