Estadão
Estadão

Bolsa cai 1,8% após anúncio de ajuda de bancos públicos ao setor produtivo

Em dia de queda generalizada de ações, com destaque para BB, que tombou quase 6%, Ibovespa fecha em baixa de 1,82%, aos 46.588 pontos – menor nível desde 19 de março de 2014

Claudia Violante, O Estado de S. Paulo

19 de agosto de 2015 | 17h37

O governo nem saiu da crise política e, na visão do mercado, já meteu os pés pelas mãos ao anunciar que usará os bancos públicos para subsidiar crédito ao setor produtivo, retomando uma política que vigorou na gestão anterior e não deu muito certo. A notícia foi indigesta ao investidores e a reação foi de queda generalizada entre os papéis, com destaque para BB, que tombou quase 6%. Com isso, o Ibovespa encerrou em baixa de 1,82%, aos 46.588 pontos, menor nível desde 19 de março do ano passado, quando terminou em 46.567,23 pontos.

Na mínima, marcou 45.977 pontos (-3,10%) e, na máxima, 47.451 pontos (estabilidade). No mês, acumula perda de 8,41% e, no ano, de 6,84%. O giro financeiro totalizou R$ 6,225 bilhões. 

O cenário político seguiu influenciando as ações domésticas. Além do crédito de pouco mais de R$ 8 bilhões, por ora, para o setor automotivo também afetou os negócios a aprovação, pela Câmara, da correção do FGTS, uma nova derrota do governo. A medida prejudicou as ações das construtoras, uma vez que deve encarecer o crédito para a compra de imóveis. Cyrela ON terminou em baixa de 1,23%, Rossi ON, de 3,03%, MRV ON, de 0,74%. 

No setor financeiro, BB ON terminou em queda de 6,17%, Bradesco PN, de 2,72%, Itaú Unibanco PN, de 2,05%, e Santander unit, de 1,91%. 

Petrobrás ON recuou 2,50% e a PN, 2,33%. Vale ON teve baixa de 3,33%, e Vale PNA, de 2,67%. 

As commodities tiveram um dia e perdas. Na Nymex, por exemplo, o contrato do petróleo para setembro despencou 4,27%, a US$ 40,80, pressionado pelos temores de excesso da oferta global da commodity. 

Se pela manhã as ações reagiram à intervenção do Banco Central chinês com uma nova injeção de recursos no sistema bancário do país, à tarde, a Bovespa repercutiu a ata do Federal Reserve. O documento enfraqueceu as apostas de que o aperto monetário nos EUA começaria em setembro, o que ajudou a Bovespa a reduzir as perdas a partir do meio da tarde. 

Nos EUA, o Dow Jones terminou em baixa de 0,93%, aos 17.348,73 pontos, o S&P 500 caiu 0,83%, aos 2.079,61 pontos, e o Nasdaq fechou com perda de 0,80%, aos 5.019,05 pontos.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsaibovespamercado

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.