Dario Oliveira|Estadão
Dario Oliveira|Estadão

Bolsa cai pelo segundo pregão e tem perdas de mais de 2%

Mercado está cauteloso quanto ao resultado das eleições nos EUA; dólar teve leve baixa e encerrou os negócios a R$ 3,23

Paula Dias, O Estado de S.Paulo

03 Novembro 2016 | 18h23

A Bovespa fechou em queda acentuada pelo segundo dia seguido nesta quinta-feira, 3, encerrando os negócios em baixa de 2,49%, aos 61.750,17 pontos. O movimento de venda de ações fez a Bolsa operar nas mínimas durante a tarde, refletindo as preocupações com o cenário internacional. Queda dos preços do petróleo e incertezas no quadro político norte-americano são alguns dos fatores que incentivaram um posicionamento mais defensivo por parte do investidor. 

A queda do petróleo é mais uma vez relacionada a dúvidas quanto à capacidade da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) de fechar um acordo para limitar a produção da commodity em sua reunião no final deste mês. Com isso, as ações da Petrobrás recuaram 4,24% (ON, ações com direito a voto) e 4,33% (PN, ações com preferência no recebimento de dividendos).

Nos Estados Unidos, uma nova pesquisa do jornal Washington Post e da rede de televisão ABC mostrou hoje a candidata democrata à presidência dos Estados Unidos, Hillary Clinton, voltando a liderar a corrida presidencial, depois de ser ultrapassada pelo republicano Donald Trump no levantamento anterior. A democrata aparece nesta quinta-feira com 47% e o republicano, com 45%.

No cenário doméstico, o destaque é o julgamento no Supremo Tribunal Federal (STF) para examinar a ação da Rede Sustentabilidade pedindo que réus saiam da linha sucessória da Presidência da República. A decisão dos ministros pode colocar em risco o cargo do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), investigado em pelo menos 11 ações no STF. Alguns operadores citam cautela com o assunto, devido a um possível atraso nos trabalhos para votação da PEC do teto de gastos no Senado. 

Dólar. No mercado de câmbio, o dólar enfrentou instabilidade na última hora de negócios e fechou em queda de 0,10%, aos R$ 3,2365. No Brasil, o comportamento do câmbio nestes últimos dias sugere que os investidores estão reavaliando os movimentos recentes, bem como as perspectivas para a economia e os ativos do país, em meio a muitos riscos e desafios internos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.