Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Bolsa de Hong Kong recua 0,2% com perda de liquidez

A Bolsa de Hong Kong encerrou os negócios desta quinta-feira com leve baixa, provocada por uma queda na liquidez. Os investidores buscam levantar recursos e se preparar para uma onda de emissões de papéis no mercado local. O índice Hang Seng recuou 0,2%. Um dos lançamentos de ações em Hong Kong foi o do China Merchants Bank, que teve forte demanda. O resultado dessa oferta inicial ajudou os papéis de todo o setor bancário na Bolsa de Xangai, na China. No entanto, a bolsa chinesa fechou a sessão sem uma tendência definida, já que as ações do setor imobiliário tiveram queda. O motivo foram os dados divulgados pelo governo mostrando uma diminuição no ritmo de crescimento do preço dos imóveis. No final do dia, o índice Xangai Composto registrou alta de apenas 0,02%, enquanto o Shenzhen Composto declinou 0,2%. O yuan acompanhou o iene e se valorizou frente ao dólar. No sistema automático de preços, a moeda norte-americana fechou a 7,9455 yuans, contra 7,9479 ontem. Segundo os operadores, o yuan deve se consolidar ao redor desse patamar enquanto o mercado aguarda a reunião do G7, no final de semana. A Bolsa de Taipé, em Taiwan, fechou em queda, puxada pelas empresas de tecnologia, ainda sob o efeito da crise política no país. O índice Taiwan Weighted caiu 1%. Entrou no sexto dia uma mobilização em frente à sede do governo, pedindo a renúncia do presidente Chen Shui-bian devido às acusações de corrupção envolvendo parentes e pessoas próximas a ele. Powerchip Semiconductor caiu 2,3% e Nanya Technology, 2,6%. Na Coréia do Sul, a Bolsa de Seul fechou em alta, impulsionada principalmente pelas compras realizadas no final da sessão, após os vencimentos no mercado futuro e de opções. O recuo na cotação do petróleo e os ganhos de ontem em Wall Street também colaboraram para o resultado. O índice Kospi fechou com alta de 1,9%. O mercado de ações da Austrália terminou o pregão em alta, liderada pela recuperação dos papéis da BHP Billiton e da Rio Tinto. O índice S&P/ASX 200 avançou 1,1%. Segundo os operadores, o setor de matérias-primas foi ajudado pelos comentários positivos do FMI a respeito das perspectivas econômicas da China. BHP Billiton atingiu elevação de 2,2%% e Rio Tinto ganhou 0,9%%. O bom desempenho dos ADR´s da gigante Philippine Long Distance Telephone (PLDT) em Nova York impulsionou as ações da companhia e contribuiu para a alta da Bolsa de Manila, nas Filipinas. O índice PSE Composto registrou um ganho de 1,1%. As ações da PLDT subiram 1,5%. Na Malásia, a Bolsa de Kuala Lumpur encerrou em alta, com o índice composto de 100 blue chips valorizando 0,30%. O índice Strait Times, da Bolsa de Cingapura, encerrou em alta de 0,44% e o JSX Composto, da Bolsa de Jacarta (Indonésia), com ganho de 0,70%. (As informações são da Dow Jones)

Agencia Estado,

14 de setembro de 2006 | 06h33

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.