Bolsa de Londres fecha em alta de 1,25%

A Bolsa de Londres fechou com o índice FT-100 em alta de 70,6 pontos (1,25%), em 5.704,4 pontos. O sentimento positivo do mercado foi alimentado pelo informe de que o PIB do Reino Unido cresceu 1,7% no quarto trimestre de 2005, em comparação com o mesmo período de 2004. A alta foi liderada pelas ações das mineradoras, que subiram em reação aos dados do PIB da China em 2005, a uma nota otimista do Citigroup sobre o setor e ao informe de produção da Antofagasta (Antofagasta +7,15%, Anglo American +4,38%, BHP Billiton +4,80%, Rio Tinto +3,94%, Xstrata +5,49%). "Os indicadores chineses apontam para a continuidade de PIBs fortes na China e na Ásia, o que deverá permitir mais crescimento para as commodities e a manutenção de preços altos para as commodities", disseram os analistas da Numis Securities. "Os fluxos de recursos para os mercados de commodities, aliados a fundamentos fortes de oferta/demanda, deverão dar sustentação aos preços das commodities. Por isso, nós elevamos nossas previsões para os preços e os lucros das empresas do setor em 2006; o zinco e o alumínio continuam sendo nossas commodities preferidas", afirmou o analista Charlie Wilkins, do Citigroup. As ações das construtoras também subiram, devido a especulações de fusões e aquisições no setor (Wimpey +5,6%, Taylor Woodrow +5,1%). No setor químico, as ações da BOC avançaram 4,38%, no segundo dia de altas fortes, depois de a empresa recusar uma oferta de aquisição feita pela alemã Linde. As do Banco Northern Rock subiram 4,58%, depois de a empresa divulgar resultados.

Agencia Estado,

25 de janeiro de 2006 | 16h22

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.