Bolsa de Londres fecha estável; Paris e Frankfurt sobem

A Bolsa de Londres fechou praticamente no mesmo nível de ontem, enquanto as de Paris, Frankfurt, Madri e Lisboa subiram e a de Milão fechou em queda. Segundo operadores, foi positiva a reação dos mercados ao índice de preços ao consumidor dos EUA, que aliviou os temores de que o Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA) voltasse a elevar as taxas de juro na próxima semana. Os investidores também gostaram do índice de preços ao consumidor da zona do euro. As ações de empresas das áreas de metais e petróleo caíram, em reação às baixas dos preços das commodities. As do setor automotivo também tiveram desempenho negativo. Londres O índice FT-100, da Bolsa de Londres, fechou em baixa de 0,2 ponto (0,003%), em 5.877,0 pontos. As ações da BP, do setor de petróleo, caíram 1,97%, depois de o Financial Times informar que diretores do Morley Fund Management, um de seus principais acionistas, pediram uma reunião com a diretoria da empresa para discutir o histórico de segurança da companhia. O pedido foi feito após uma série de acidentes ocorridos recentemente em refinarias ou oleodutos operados pela BP. Entre as mineradoras, os destaques do pregão foram Anglo American, que recuou 2,54%, Antofagasta, com queda de 3,13%, BHP Billiton, que perdeu 2,26%, Kazakhmys, que fechou em baixa de 2,90%, Rio Tinto, em queda de 3,53%, e Xstrata, que cedeu 3,23%. As ações da Rolls Royce subiram 1,07%, depois de a Hainan Airlines encomendar à empresa mais de 100 turbinas para sua frota de aviões ERJ 145, da Embraer. No setor bancário, as ações do Standard Chartered avançaram 1,81%, depois de elevação de recomendação pelo UBS. Na semana, o FT-100 acumulou uma baixa de 0,04%. Paris Na Bolsa de Paris, o índice CAC-40 fechou em alta de 21,03 pontos (0,41%), em 5.144,88 pontos. As ações da Carrefour subiram 3,33%, depois de a empresa apresentar um informe de vendas e também em reação a seu roadshow. As ações dos bancos tiveram bom desempenho (Crédit Agricole ganhou 2,64% e Societé Générale, 1,93%). As ações da Gaz de France registraram valorização de 1,51%, ainda em reação ao informe de resultados divulgado no começo da semana. As do grupo Lagardère caíram 2,73%, devido à realização de lucros; elas haviam subido muito nos dois pregões anteriores, em reação a seu informe de resultados. No setor automotivo, as ações da Peugeot-Citroën recuaram 1,24%, depois de rebaixamento de recomendação pelo Societé Générale e em reação ao alerta de lucros feito pela DaimlerChrysler. Na semana, o CAC acumulou uma alta de 1,25%. Frankfurt A Bolsa de Frankfurt encerrou com o índice Xetra-DAX em alta de 30,50 pontos (0,52%), em 5.937,87 pontos. As ações da DaimlerChrysler caíram 5,57%, após a empresa fazer um alerta de queda nos lucros; isso também afetou as ações da BMW, que cederam 1,33%. As ações dos bancos subiram, depois de os dados da inflação nos EUA reforçarem as previsões de que o Fed não elevará as taxas de juro na próxima semana (Commerzbank teve ganho de 2,57% e Deutsche Bank, de 1,63%). As ações da Lufthansa subiram 2,20%, em reação à baixa dos preços do petróleo. Segundo operadores, o mercado alemão deverá acompanhar Nova York e os preços do petróleo na próxima semana, na qual a agenda de informes de empresas é fraca; segundo um operador, dificilmente o DAX superará a marca psicologicamente importante dos 6.000 pontos antes da reunião do Fed, na quarta-feira. Nesta semana, o Dow acumulou uma alta de 2,46%. Milão Na Bolsa de Milão, o índice S&P-Mib terminou o dia em queda de 37 pontos (0,10%), em 37.892 pontos. As ações da ENI caíram 1,40% e as da Saipem recuaram 2,10%, em reação à queda dos preços do petróleo. As ações da Telecom Italia cederam 1,43% e as da Pirelli recuaram 2,86%, em meio ao debate político sobre a proposta da Telecom Italia de separar algumas de suas unidades. As ações da Fastweb subiram 6,81%, em reação ao anúncio de um acordo da empresa com a britânica Vodafone para novos serviços na internet. Nesta semana, o S&P-Mib acumulou uma alta de 0,20%. Madri O índice Ibex-35, da Bolsa de Madri, fechou em alta de 63,90 pontos (0,52%), em 12.278,40 pontos. De acordo com operadores, a alta foi liderada pelas ações do setor de energia elétrica, em meio a especulações sobre fusões e aquisições (Iberdrola subiu 4,13%, Unión Fenosa, 2,81%, e Endesa, 0,38%). As ações da Iberia registraram valorização de 1,45%, em reação à baixa dos preços do petróleo; as da Repsol avançaram 0,28%. Na semana, o Ibex acumulou uma alta de 1,63%. Lisboa Na Bolsa de Lisboa, o índice PSI-20 fechou em alta de 42,96 pontos (0,43%), em 10.033,17 pontos. As ações da Energias de Portugal subiram 2,60% e as do Banco Comercial Português avançaram 0,41%. As da Portugal Telecom caíram 0,41%, em reação a rebaixamento de recomendação pela Lehman Brothers, depois da divulgação de seu informe de resultados. Na semana, o PSI-20 acumulou uma alta de 0,51%. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.