Bolsa de NY atinge maior nível desde setembro de 2008

Os índices do mercado de ações dos EUA fecharam em alta após dados mostrarem que houve um recuo menor que o esperado nas vendas de imóveis residenciais usados no país em fevereiro, alimentando a perspectiva de que a economia norte-americana segue em recuperação. Segundo a Associação Nacional dos Corretores de Imóveis dos EUA, as vendas de imóveis usados caíram 0,6% em fevereiro, para a média anual de 5,02 milhões de unidades, de 5,05 milhões de unidades em janeiro. Economistas ouvidos pela Dow Jones esperavam queda de 2% nas vendas em fevereiro, para 4,95 milhões de unidades.

GUSTAVO NICOLETTA, Agencia Estado

23 de março de 2010 | 18h37

"Foi mais um dado que aqueles que apostam na alta do mercado abraçaram", disse Jay Wong, gerente de carteiras de investimento da Payden & Rygel. Segundo ele, o setor industrial teve um desempenho acima da média desde o início do ano e o que estamos vendo "é uma tendência generalizada de aposta num avanço do mercado por conta da recuperação da economia mundial. As pessoas esperam demanda por equipamentos e máquinas e investimento nesse tipo de bens."

Também contribuiu para a alta dos índices a perspectiva de que a zona do euro está mais perto de uma solução para o problema do déficit orçamentário grego após uma autoridade europeia afirmar que a Alemanha está aberta a um potencial compromisso de auxílio à Grécia em troca de um acordo para aumentar o rigor fiscal na região.

O Dow Jones subiu 102,94 pontos, ou 0,95%, para 10.888,83 pontos - maior ganho em uma única sessão desde 5 de março e o maior nível de fechamento desde 26 de setembro de 2008. O Dow Jones avançou em 10 das últimas 11 sessões e acumula alta de 5,46% no mês até o momento. A Caterpillar teve o melhor desempenho do dia entre os componentes do índice, avançando 4,10% e recebendo suporte adicional de uma recomendação de compra divulgada por analistas da Avondale Partners. Também tiveram um bom desempenho Kraft Foods (+3,53%) e Pfizer (+2,27%).

O Nasdaq subiu 19,84 pontos, ou 0,83%, para 2.415,25 pontos, maior nível de fechamento desde 18 de agosto de 2008. O S&P 500 ganhou 8,36 pontos, ou 0,72%, para 1.174,17 pontos - maior fechamento desde 26 de setembro de 2008. Embora todos os setores que compõem o índice tenham encerrado o dia no azul, os ganhos foram puxados pelos segmentos industrial e de matérias-primas, com destaque para as ações da Deere (+3,2%) e da FedEx (+2,2%).

Entre outras ações, as do Google caíram 1,5% após a companhia interromper a censura nos resultados de seu serviço de busca na China. A rede de farmácias Walgreen, que anunciou um aumento no lucro e nas margens do segundo trimestre fiscal, registrou ganho de 1,6% entre suas ações. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.