Bolsa de NY cai após declarações de dirigente do Fed

O mercado norte-americano de ações voltou a fechar em queda, com o índice Nasdaq acumulando oito pregões consecutivos de baixas, o que não acontecia desde 1994. O mercado operou "de lado" boa parte do dia, mas passou a acentuar sua queda na última hora do pregão, depois de o presidente do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA) de St. Louis, William Poole, fazer novas declarações "duras" sobre a inflação. Poole disse que os riscos de inflação estão "desequilibrados para cima" e que "nós não deveríamos acreditar que o problema da inflação vá necessariamente acabar se a economia se desacelerar de maneira óbvia". Para o estrategista Larry Adam, da Deutsche Bank Alex Brown, "o mercado ainda está cansado e tivemos mais de um dirigente do Fed oferecendo perspectivas diferentes hoje. Isso reforçou a falta de convicção dos investidores". Entre os destaques do pregão estavam Sears (+13%, após a divulgação de resultados), BEA Systems (+12%, também depois da divulgação de seu balanço), Napster (-18%), BellSouth (-1,2%) e Adobe Systems (-3,3%). O índice Dow Jones fechou em queda de 77,32 pontos (0,69%), em 11.128,29 pontos. A mínima foi em 11.127,25 pontos e a máxima em 11.246,91 pontos. O Nasdaq fechou em queda de 15,48 pontos (0,70%), em 2.180,32 pontos, com mínima em 2.180,28 pontos e máxima em 2.212,95 pontos. O Standard & Poor's-500 caiu 8,51 pontos (0,67%), para 1.261,81 pontos. O NYSE Composite recuou 50,91 pontos (0,62%), para 8.148,47 pontos. O volume negociado na NYSE ficou em 1,841 bilhão de ações, de 2,096 bilhões ontem; 1.245 ações subiram, 2.058 caíram e 146 fecharam nos mesmos níveis de ontem. No Nasdaq, o volume ficou em 2,064 bilhões de ações negociadas, de 2,381 bilhões ontem, com 1.147 ações fechando em alta e 1.896 em queda.

Agencia Estado,

18 de maio de 2006 | 18h00

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.