Bolsa de NY em baixa de olho no aperto monetário do Fed

A Bolsa de Nova York opera em queda, com os investidores mostrando preocupação com a possibilidade de o Federal Reserve começar a elevar as taxas de juro de curto prazo mais cedo do que muitos preveem. Segundo David Seaburg, da Cowen & Co., não há nenhuma notícia específica que tenha provocado o movimento de venda. O único indicador divulgado foi o informe do Departamento do Trabalho de que os empregadores norte-americanos contrataram 4,9 milhões de trabalhadores em julho, maior número desde dezembro de 2007.

RENATO MARTINS, Estadão Conteúdo

09 de setembro de 2014 | 14h00

As ações dos setores financeiro e de telecomunicações estão entre as maiores quedas. Nesta segunda-feira, 09, um estudo dos economistas do Fed de San Francisco concluiu que os participantes do mercado aparentemente preveem que a política monetária continuará mais acomodatícia do que os próprios dirigentes do Fed vêm sugerindo. "O mercado não precificou nem mesmo o que o Fed está dizendo que vai fazer", comentou Brad McMillan, da Commonwealth Financial Network.

Entre os destaques da sessão estão as ações da rede de mercados de produtos orgânicos Annie''s, que subiam 37,8% há pouco, depois do anúncio de que a empresa será comprada pela General Mills (-0,5%). As da Home Depot caíam 1,3%, depois de a empresa confirmar que 2.200 de suas lojas nos EUA e no Canadá foram afetadas por um ataque cibernético. As ações da Apple subiam 1,6%, com o mercado na expectativa do lançamento do iPhone 6 ainda hoje. As da Amazon.com recuavam 2,8%, depois de a empresa anunciar a redução do preço de seu smartphone Fire para US$ 0,99. No setor financeiro, as ações do JPMorgan caíam 1,4% e as do Goldman Sachs recuavam 1,0%.

Às 13h53 (de Brasília), o índice Dow Jones caía 71 pontos (0,42%), para 17.040 pontos; o Nasdaq recuava 14 pontos (0,31%), para 4.577 pontos; o S&P-500 caía 6 pontos (0,34%), para 1.994 pontos.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsas de valoresNYFed

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.