Bolsa de NY fecha em alta com Fed e informe da Oracle

O mercado norte-americano de ações fechou em alta, em dia marcado por nova queda de 1,95% dos preços do petróleo em Nova York, por nova pausa no ciclo de apertos monetários do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA) e por informes de resultados de empresas. O índice Dow Jones fechou menos de 110 pontos abaixo de seu recorde histórico de 11.722,98 pontos, estabelecido em 14 de janeiro de 2000. "O pregão começou bem, com informes de resultados fortes e a queda dos preços do petróleo. E a decisão do Fed, de manter as taxas de juro inalteradas, certamente não foi uma má notícia", comentou o estrategista Alan Gayle, da Trusco Capital Management. Juros O dia foi marcado pela segunda reunião consecutiva em que o Fed não elevou as taxas de juro de curto prazo. Houve pouca reação do mercado à decisão. O comunicado praticamente repetiu o texto da reunião de agosto (foi removida a palavra "gradual" na referência ao arrefecimento do mercado de imóveis). Assim como em agosto, um único participante da reunião (Jeffrey Lacker, do distrito de Richmond) diferiu da preferência dos demais, votando por uma elevação de 0,25 ponto porcentual na taxa básica de juros. "No fim das contas, os investidores deveriam ficar felizes com a decisão de hoje", comentou Kevin Giddis, da Morgan Keegan. Alguns participantes do mercado esperavam que o comunicado do Fed trouxesse declarações "menos duras" quanto à inflação, depois dos indicadores fracos divulgados ontem (número de construções de residências e o índice de preços ao produtor) e também por causa da queda dos preços do petróleo. O comunicado, porém, repetiu as advertências anteriores do Fed de que "algum risco de inflação permanece" e de que haverá novos apertos monetários, caso os indicadores o justifiquem. "O comunicado não mudou nada em termos da visão do mercado", comentou o estrategista de câmbio Daniel Katzive, do UBS. Ações As ações da Oracle subiram 11,16% e fecharam no nível mais alto dos últimos cinco anos, em reação a seu informe de resultados; isso contribuiu para que o índice Nasdaq-100 de ações não financeiras passasse a acumular alta no ano, depois de ficar no negativo durante quatro meses. Outras ações do setor de software subiram em reação a isso (Citrix Systems ganhou 6,5% e Red Hat teve alta de 4,5%). Ainda no setor de tecnologia, as ações da IBM avançaram 1,89%, depois de elevação de recomendação pelo UBS. No setor financeiro, as ações da Morgan Stanley, que divulgou informe de resultados, subiram 0,70%. As da rede de lojas de carros usados CarMax, que também divulgou resultados, avançaram 7,9%. As ações da Boeing subiram 1,76%, em reação ao anúncio de uma encomenda de 22 aviões feita pela Aeroflot. Índices O índice Dow Jones fechou em alta de 72,36 pontos, ou 0,63%, em 11.613,27 pontos. A mínima foi em 11.542,20 pontos e a máxima em 11.625,52 pontos. O Nasdaq encerrou com valorização de 30,52 pontos, ou 1,37%, em 2.252,89 pontos, com mínima em 2.242,11 pontos e máxima em 2.257,28 pontos. O Standard & Poor's-500 subiu 6,87 pontos, ou 0,52%, para 1.325,18 pontos. O Nyse Composite, que reúne todas as ações negociadas na Bolsa de Valores de Nova York (Nyse), avançou 44,27 pontos, ou 0,53%, para 8.391,84 pontos. O volume negociado na Nyse alcançou 1,625 bilhão de ações, de 1,517 bilhão ontem; 2.162 ações subiram, 1.117 caíram e 146 fecharam nos mesmos níveis de ontem. No Nasdaq, o volume alcançou 2,198 bilhões de ações negociadas, de 2,110 bilhões ontem, com 1.925 ações fechando em alta e 1.115 em queda. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.