Bolsa de NY fecha em alta; LinkedIn sobe 109% na estreia

Dow Jones fechou em alta de 0,36%, Nasdaq subiu 0,30% e o S&P-500 ganhou

Renato Martins, da Agência Estado ,

19 de maio de 2011 | 18h02

O mercado norte-americano de ações fechou com os principais índices em alta pelo segundo dia consecutivo. O bom desempenho das ações da LinkedIn em seu dia de estreia alimentou a expectativa de mais ofertas iniciais de ações. Os volumes de negócios, porém, foram relativamente reduzidos.

"O mercado está tentando digerir um mix de notícias, mas em geral elas são positivas", disse Liz Miller, da Summit Place Financial Advisors. Alguns dos indicadores divulgados hoje ficaram abaixo das expectativas, como os dados de vendas de imóveis residenciais usados, o índice de atividade do Fed de Filadélfia e o índice dos indicadores antecedentes da Conference Board, mas o número de pedidos de auxílio-desemprego feitos na semana passada ficou abaixo das previsões, indicando que prossegue a melhora gradual do nível de emprego. "Os dados econômicos saíram desiguais. Não é como nos dois anos anteriores, quando cada informe era mais forte do que o anterior. Os investidores não sabem para onde a perspectiva aponta, mas estão mais confiantes com as notícias microeconômicas", disse o estrategista Jeffrey Kleintop, da LPL Financial.

As ações da LinkedIn fecharam a US$ 94,25, com alta de 109,44% em relação ao preço do IPO. Entre as componentes do índice Dow Jones, os destaques positivos foram American Express (+1,49%), McDonald's (+1,24%) e Boeing (+1,14%); as da Intel, porém, caíram 1,42%, depois de rebaixamento de recomendação pelos analistas do Goldman Sachs. As ações da rede de lojas Big Lots caíram 11%, depois de a empresa negar que esteja à venda.

O índice Dow Jones fechou em alta de 45,14 pontos (0,36%), em 12.605,32 pontos. O Nasdaq fechou em alta de 8,31 pontos (0,30%), em 2.823,31 pontos. O S&P-500 fechou em alta de 2,92 pontos (0,22%), em 1.343,60 pontos. O NYSE Composite fechou em alta de 20,47 pontos (0,24%), em 8.427,95 pontos. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsasDow JonesNasdaqLinkedln

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.