Bolsa de NY fecha em baixa com dados fracos dos EUA

Os principais índices do mercado de ações dos EUA fecharam em baixa, pressionados por dados mais fracos que o previsto sobre as vendas no varejo, por um aumento nos preços das importações e pelo declínio nos papéis de empresas do segmento de energia.

GUSTAVO NICOLETTA, Agencia Estado

15 de fevereiro de 2011 | 19h55

O Dow Jones caiu 41,55 pontos, ou -0,34%, para 12.226,64 pontos. A ExxonMobil puxou o índice para baixo, com queda de 2,28% em suas ações, após anunciar que acrescentou 3,5 bilhões de barris de petróleo equivalente às suas reservas comprovadas. A notícia pesou sobre os preços do petróleo e sobre os papéis de outras companhias do setor, como a Chevron (-0,63%), por ter sido interpretada como mais um sinal de oferta ampla da commodity.

Entre os demais índices, o Nasdaq fechou em baixa de 12,83 pontos, ou -0,46%, a 2.804,35 pontos, enquanto o S&P-500 recuou 4,31 pontos, ou -0,32%, para 1.328,01 pontos.

Dados divulgados hoje mostraram que as vendas no varejo dos EUA cresceram 0,3% em janeiro ante dezembro, menos do que a alta de 0,6% prevista por analistas consultados pela Dow Jones, e que o índice de preços das importações aumentou 1,5% na mesma base de comparação, superando a estimativa de ganho de 0,8%. Além disso, o índice de sentimento das construtoras de moradias ficou estável em 16 pontos e o nível de estoques das empresas dos EUA cresceu em dezembro para o maior nível dos últimos dois anos.

Já o índice Empire State de atividade no setor de manufatura em Nova York subiu para 15,43 em fevereiro, de 11,92 em janeiro, superando a estimativa dos economistas, mas o componente de preços pagos subiu para 45,78, de 35,79 em janeiro. "Isso chamou a minha atenção", disse Charlie Smith, executivo-chefe de investimentos do Fort Pitt Capital Group. "Houve muitos receios com a possibilidade de vermos no segundo e no terceiro trimestre deste ano os preços das matérias-primas reduzindo as margens de lucro e talvez estejamos vendo um sinal preliminar disso."

As ações da Nyse Euronext estavam entre os destaques da sessão, caindo 3,37% depois de a companhia divulgar os planos para se fundir com a Deutsche Boerse (bolsa alemã). A transação deve ser concluída até o final do ano e os acionistas da Deutsche Boerse vão deter 60% de participação na nova companhia. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsasDow JonesNasdaq

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.