Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Bolsa de NY fecha em queda com impasse sobre dívida

O mercado norte-americano de ações fechou em baixa. O impasse político em torno do limite de endividamento do governo dos EUA conteve o apetite dos investidores por risco, deixando no ar a incerteza sobre se os EUA poderão manter seus ratings de crédito AAA. O índice Dow Jones chagou a cair 145 pontos pela manhã, depois de o colapso das conversações sobre a dívida dos EUA; à tarde, ele recuperou parte do terreno perdido, em reação à notícia de que os partidos Democrata e Republicano apresentaram propostas separadas de elevação do limite legal de endividamento.

RENATO MARTINS, Agencia Estado

25 de julho de 2011 | 18h08

Participantes do mercado observaram que a queda das ações, a terceira em quatro pregões, e a alta de ativos como o ouro, que fechou em nível recorde nesta segunda-feira, são sinais de maior cautela por parte dos investidores, já que não há uma certeza de que os dois partidos poderão chegar a um acordo a tempo de evitar um rebaixamento dos ratings dos EUA. O limite legal de endividamento do governo foi atingido em meados de maio, mas o Departamento do Tesouro diz que o país tem como honrar seus compromissos financeiros até 2 de agosto.

"Quanto mais esta semana avançar sem uma solução, mais ansioso o mercado de ações vai ficar", disse Andrew Slimmon, da Morgan Stanley Smith Barney. Para Paul Zemsky, da ING Investment Management, "ninguém sabe realmente o que um rebaixamento de rating vai significar. Havia a expectativa de que alguma coisa aconteceria no fim de semana, mesmo que não fosse a ''barganha perfeita'' anunciada pelo presidente Obama. Não houve absolutamente nenhum progresso mensurável. Por isso, o mercado está embutindo nos preços uma incerteza maior".

Entre as componentes do Dow Jones, os destaques negativos foram Boeing (-1,87%), Travelers (-1,62%) e Procter & Gamble (-1,46%). Apenas quatro delas subiram (Microsoft +1,38%, Hewlett-Packard +1,06%, Caterpillar +0,49% e Home Depot +0,36%).

As ações da E*Trade Financial subiram 5,63%, em reação a informes de que a TDAmeritrade poderá fazer uma oferta pela empresa; as da TDAmeritrade avançaram 1,78%. As ações da Texas Instruments, que divulgaria resultados depois do fechamento, recuaram 0,98%. Também no setor de tecnologia, as ações da Research in Motion, fabricante do Blackberry, caíram 2,22% depois de a empresa vai demitir 2 mil funcionários. As ações da Kimberly-Clark caíram 2,09%, em reação a seu informe de resultados.

O índice Dow Jones fechou em queda de 88,36 pontos (-0,70%), em 12.592,80 pontos. O Nasdaq fechou em queda de 16,03 pontos (-0,56%), em 2.842,80 pontos. O S&P-500 fechou em queda de 7,59 pontos (-0,56%), em 1.337,43 pontos. O NYSE Composite fechou em queda de 50,63 pontos (0,60%), em 8.357,57 pontos. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsasDow JonesNasdaqdívidaObama

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.