Bolsa de NY sobe na abertura e ensaia recuperação

O índice Dow Jones, da Bolsa de Nova York, abriu hoje em alta de 18% e o Nasdaq, com ganho de 0,31% nesta terça-feira. A alta é uma tentativa de recuperação de pelo menos parte das perdas do dia anterior, antes da divulgação da ata da reunião de 10 de maio do Federal Reserve (Fed, o Banco Central dos Estados Unidos). A ata sai às 15 horas (de Brasília). Há grande possibilidade de a ata provocar intenso movimento no mercado e, talvez, definir o sentimento dos investidores em relação às mudanças futuras nas taxas de juro. Alguns analistas como da Goldman Sachs e do Barclays consideram que o Fed está inclinado a dar uma pausa no ciclo de alta do juro. O Barclays acredita que a ata trará tranqüilidade temporária aos mercados. Os investidores esperam que a ata esclareça o grau de dependência do Fed dos indicadores econômicos para tomar suas próximas decisões sobre as taxas de juro. No breve comunicado divulgado logo após o encontro de política monetária de 10 de maio, as autoridades indicaram que a direção das taxas de juro norte-americanas dependerá do comportamento da economia. O mercado quer também ver quantos dos membros do comitê de política monetária acreditavam ser a última a elevação de 0,25 ponto percentual promovida na taxa dos Federal Funds na ocasião. Eventuais considerações de perspectiva de crescimento menor da inflação será revelador, especialmente frente a tendência do comitê de tolerar eventual aumento na inflação em ambiente de desaceleração da atividade econômica. A queda do petróleo nesta manhã também ajuda a manter os índices acionários no território positivo. A commodity recua à espera de que os relatórios que serão divulgados amanhã sobre os níveis dos estoques de petróleo nos EUA mostrem situação confortável de abastecimento. Os investidores do complexo de energia consideram também a possibilidade de a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), que se reúne amanhã, sustentar a atual cota de produção, garantindo folga na oferta de petróleo. No noticiário corporativo, as varejistas estiveram novamente em destaque. Os papéis da Costco, concorrente da Wal-Mart, caíram mais de 1% no pré-mercado ao anunciar resultado abaixo do esperado. Com agência Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.