Bolsa de NY tem alta forte com fala de Draghi, do BCE

O mercado norte-americano de ações fechou em alta forte na quinta-feira, depois de o Banco Central Europeu (BCE) sinalizar que fará o que for necessário para impedir a fragmentação da união monetária. Durante uma conferência em Londres, o presidente do BCE, Mario Draghi, disse que fará "o que for necessário" para preservar o euro e indicou que a instituição está disposta a voltar a comprar bônus soberanos dos países da região.

RENATO MARTINS, Agencia Estado

26 de julho de 2012 | 18h19

Para Christian Bertelsen, da Global Financial Private Capital, as declarações de Draghi "foram muito enfáticas, e tinham claramente o objetivo de eliminar parte do pânico". Richard Golinski, da Bingham Osborn & Scarborough, afirmou que as declarações de Draghi "implicam que o BCE está pronto a fazer mais, e talvez até adote medidas de relaxamento quantitativo da política monetária como aquelas que tivemos aqui nos Estados Unidos".

Outro fator para a alta das ações foi o fato de os indicadores divulgados nos EUA, o número de pedidos de auxílio-desemprego feitos na semana passada e as encomendas de bens duráveis em junho, terem saído melhores do que se previa.

Entre as ações de empresas que divulgaram resultados, os destaques foram ExxonMobil (+1,50%), Sprint Nextel (+20,18%), 3M (+2,07%), Zynga (-37,48%), Whole Foods Market (+11,32%) e Dow Chemical (-3,60%). As ações do Facebook, que divulgou resultados depois do fechamento, caíram 8,50%.

O índice Dow Jones terminou em alta de 211,88 pontos (1,67%), em 12.887,93 pontos. O Nasdaq finalizou com valorização de 39,01 pontos (1,37%), aos 2.893,25 pontos. O S&P-500 acabou o dia com ganho de 22,13 pontos (1,65%), a 1.360,02 pontos. O NYSE Composite fechou em alta de 146,95 pontos (1,93%), em 7.754,51 pontos. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
BolsasNova Yorkfechamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.