Bolsa de Tóquio cai 0,8% com alta do iene e incertezas

Além da crise global, a instabilidade do governo do Japão deixa mercado apreensivo

Agencia Estado

26 de junho de 2012 | 06h05

A Bolsa de Tóquio fechou em queda pelo terceiro pregão seguido nesta terça-feira. O fortalecimento do iene e as reticências dos investidores, na esteira do aumento das preocupações econômicas globais, levaram à venda em ações de exportadores, como Shin-Etsu Chemical e Tokyo Electron. Os investidores também aguardaram a votação parlamentar sobre o aumento do imposto sobre vendas - que acabou aprovada hoje pela Câmara Baixa, mas ainda não repercutiu no mercado acionário.

O Nikkei caiu 70,63 pontos, ou 0,8%, e terminou aos 8.663,99 pontos, após baixa de 0,7% na sessão de segunda-feira. O volume de negociações foi mais robusto que em pregões anteriores e subiu para 1,8 bilhão de ações. Mas, segundo os traders, os investidores permaneceram em modo de aversão ao risco.

A votação parlamentar sobre o aumento do imposto sobre vendas, para 8% em 2014 e 10% em 2015, além das reformas do sistema de seguridade social, não foram vistas como uma influência importante nas negociações acionárias. No entanto, sinais de potencial instabilidade do governo nipônico são dissonantes para o otimismo dos investidores estrangeiros, disse Tatsunori Kawai, estrategista-chefe da kabu.com.

"A probabilidade de que o Japão possa ver outro primeiro-ministro antes do fim de ano tem aumentado", disse Naomi Fink, estrategista de ações da Jefferies Japan, ao observar as dificuldades do governista Partido Democrático do Japão (PDJ) em manter sua unidade partidária. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsasTóquio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.