Bolsa de Tóquio cai 0,8% com Líbia e alta do iene

A Bolsa de Tóquio fechou em queda pela segunda sessão consecutiva, diante da continuidade das preocupações com a revolta popular no Oriente Médio e no Norte da África, ao mesmo tempo em que ações da Toyota, da Sony e de outras exportadoras declinaram com a valorização do iene. O índice Nikkei 225 baixou 65,60 pontos, ou 0,8%, e fechou aos 10.579,10 pontos, o menor nível desde 4 de fevereiro.

HÉLIO BARBOZA, Agencia Estado

23 de fevereiro de 2011 | 07h31

As opiniões dos analistas ficaram divididas sobre se a atual correção na bolsa japonesa sinaliza uma realização de lucros de curto prazo ou um movimento de vendas de longa duração. "Temos de prestar atenção ao efeito de contágio da situação na Líbia em termos de alta da cotação do petróleo e dos preços da gasolina nos EUA", disse Yoshinori Nagano, estrategista da Daiwa Asset Management. Ele acrescentou que a elevação dos preços nas bombas deverá deprimir os gastos dos consumidores e eventualmente desacelerar a recuperação econômica.

Mas o analista de mercado Toshiyuki Kanayama, da Monex, disse que os investidores aparentemente ficaram aliviados com o fato de o Nikkei não ter rompido o nível de sustentação ao redor dos 10.550 pontos, apontando a breve recuperação do índice para o território positivo no meio da manhã. As informações são da Dow Jones

Tudo o que sabemos sobre:
bolsasTóquio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.