Bolsa de Tóquio cai 1,2%, puxada por tombo da Nissan

A Bolsa de Tóquio fechou em queda hoje, pressionada pelo pesado volume de vendas de ações da Nissan, que divulgou uma redução em seu lucro líquido e revisou para baixo suas projeções. O efeito negativo espalhou-se pelos papéis de outras montadoras e prejudicou o sentimento geral do mercado. Realizações de lucros em setores que tiveram ganhos recentes na bolsa, como siderúrgicas e companhias de serviços públicos, também afetaram o resultado do pregão. O índice Nikkei 225 encerrou com perda de 1,2%, aos 17.344,80 pontos. A cautela deve predominar nos negócios desta semana, na medida em que os investidores tornam-se crescentemente cuidadosos em relação à especulação no mercado futuro, tendo em vista o vencimento de opções na sexta-feira e a possível discussão sobre a fraqueza do iene na reunião do G-7, no final da semana. ?Não é preciso se preocupar sobre quanto o mercado pode cair, mas o comportamento (do mercado) é cada vez mais cauteloso antes dos principais eventos do final da semana?, disse Hiroichi Nishi, administrador de ativos da corretora Nikko Cordial Securities. As ações da Nissan caíram 8,3% depois que a montadora informou uma redução de 23% no lucro líquido do grupo no período outubro-dezembro em relação ao mesmo trimestre do ano anterior. A companhia também revisou para baixo sua estimativa de resultado para o ano fiscal que se encerra em março, de 523 bilhões de ienes para 460 bilhões de ienes. No rastro da Nissan, Toyota recuou 1,6% e Honda caiu 3,6%. Os operadores, contudo, dizem que o declínio desses papéis pode ser uma oportunidade para comprá-los a preços baixos e obter bons rendimentos. Entre as companhias de serviços públicos e as siderúrgicas, Kansai Electric Power caiu 2,5%, Chubu Electric baixou 1,7%, Nippon Steel perdeu 1,5% e JFE Holdings teve desvalorização de 4%. Ações de bancos também apresentaram queda, como reflexo dos recentes indicadores econômicos que diminuíram a expectativa de aperto na política monetária na reunião deste mês do Banco do Japão (banco central japonês). Mitsubishi UFJ Financial Group declinou 2,1%, Sumitomo Mitsui Financial Group baixou 1,7% e Mizuho Financial Group terminou com perda de 1,9%. Os papéis da Victor Co. of Japan tiveram um salto de 15% após o jornal Asahi Shimbun noticiar que a matriz da empresa, a Matsushita Electric, estuda vender a subsidiária. Três fundos fizeram ofertas amigáveis pela companhia. Refinarias de petróleo encerraram em alta, graças à valorização do produto no mercado futuro dos EUA. Nippon Oil beneficiou-se, além disso, da notícia de que adquiriu direitos de exploração para seis blocos no Mar do Norte. Os papéis da empresa subiram 1,7%. Showa Shell ganhou 0,8%. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.