Bolsa de Tóquio cai à espera de aumento de imposto

Índice Nikkei recuou 1,7%, a 14.224,23 pontos, após subir 0,4% na sessão anterior

20 de março de 2014 | 06h48

A Bolsa de Tóquio recuou e atingiu o menor nível em seis semanas, com os investidores à espera do aumento do imposto sobre vendas no Japão em abril e em função dos temores com o setor financeiro da China.

O índice Nikkei recuou 1,7%, a 14.224,23 pontos, após subir 0,4% na sessão anterior. O principal índice da bolsa japonesa fechou no seu menor nível desde 6 de fevereiro.

Com isso, a Bolsa de Tóquio continua registrado um dos piores desempenhos de 2014 entre os principais mercados do mundo.

No início da sessão, o índice Nikkei reagia positivamente à decisão de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA). Os rendimentos dos EUA subiram após 10 dos 16 integrantes do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) disserem que preveem a taxa básica de juros em 1,00% ou mais até o fim de 2015 - um ritmo levemente mais agressivo do que as autoridades do Fed previam anteriormente.

O índice Nikkei, porém, não permaneceu por muito tempo em alta. Outros mercados asiáticos também recuaram sobre a especulação de que os EUA poderiam elevar as taxas de juros mais cedo do que se pensava anteriormente.

Segundo Hiromichi Tamura, estrategista-chefe da Nomura Securities no Japão, a sinalização do Fed de que pode elevar a taxa de juros antes do previsto é positiva, mas o aumento do imposto sobre vendas no Japão em abril e os temores em relação a China determinaram o pessimismo dos investidores japoneses.

Entre as ações, destaque negativo para os papéis empresas imobiliárias e de construção. A Mitsui Fudosan caiu 3,7%, enquanto a Taisei perdeu 2,7%. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
japãobolsa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.