Bolsa de Tóquio fecha em alta antes de reunião do Fed

A Bolsa de Tóquio fechou em alta nesta segunda-feira, com o contínuo apetite por risco entre os investidores, tendo em vista que o dólar se manteve relativamente valorizado ante o iene. Contudo, os níveis de participação foram baixos, antes da reunião do Comitê Federal de Mercado Aberto (FOMC), prevista para começar na terça-feira.

AE, Estadão Conteúdo

27 de outubro de 2014 | 08h22

O índice Nikkei ganhou 0,63%, para 15.388,72 pontos, após uma forte onda de compras na semana passada. O volume de operações totalizou apenas 1,82 bilhão de ações, o montante mais leve desde 8 de setembro.

"As ações voltaram rapidamente ao terreno positivo na semana passada, ante as vendas acentuadas que levaram o mercado a uma correção", mas os investidores ainda estão cautelosos quanto a sincronia entre fundamentos e a sensibilidade a risco, disse Yutaka Miura, analista técnico sênior da Mizuho Securities. "O Fed será analisado na busca por sinais mais claros sobre o que esperar a partir daqui, mas ainda há muito espaço para o mercado cair novamente. Eu não acho que estamos fora de risco ainda".

"Toda atenção está voltada para a reunião do Federal Reserve (Fed) nesta semana, pois o programa de relaxamento quantitativo deve acabar neste mês", disse um diretor de negociação de ações de uma corretora europeia. "Há uma especulação razoável que a presidente do Fed, Janet Yellen, irá ao menos suavizar a linguagem relacionada à elevação da taxa de juros", completou.

O dólar operou em leve queda nesta segunda-feira ao girar em torno de 107,90 ienes, ante o nível do fim da semana passada. Esse valor da moeda ainda é considerado por muitos como elevado. Os investidores tendem a preferir um dólar mais forte, pois esse movimento permite que os exportadores reduzam os preços sobre os produtos que vendem no exterior. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
japãobolsa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.