Bolsa de Tóquio fecha em alta com recuperação do dólar

As ações negociadas na Bolsa de Tóquio ganharam força nesta sexta-feira uma vez que recuperação do dólar ajudou os exportadores japoneses, enquanto a expectativas de mais quedas no preço do petróleo no longo prazo aumentou o interesse por papéis de empresas consumidoras de combustível, como companhias aéreas e transportadoras.

LEDA SAMARA, COM INFORMAÇÕES DE DOW JONES NEWSWIRES, Estadão Conteúdo

28 de novembro de 2014 | 08h28

O índice Nikkei encerrou com ganho de 1,23%, aos 17.459,85 pontos, saindo de uma sequência de dois dias de queda. Na semana, o índice de referência ganhou 0,6%.

As ações receberam o impulso da valorização do dólar contra a moeda japonesa, que superou o nível de 118 ienes após dois dias que perdas. Ao mesmo tempo, a decisão da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) de manter a produção inalterada, anunciada na quinta-feira, derrubou os preços do petróleo e aumentou o interesse por ações de empresas consumidoras de combustível.

As ações de companhias aéreas e transportadoras registraram fortes ganhos na sessão. Japan Airlines subiu 5,3% e a transportadora Kawasaki Kisen avançou 6,9%. Por outro lado, a queda nos preços do petróleo teve impacto negativo para exploradoras e refinarias, que tiveram perdas acentuadas no pregão. A petrolífera Inpex recuou 6,9% e grupo JX Holdings perdeu 2,3%.

Os bônus soberanos do Japão tiveram alta no mercado asiático, com o juro dos JGBs de dois anos entrando no território negativo pela primeira vez na história, o mais recente sinal da influência do Banco do Japão (BoJ) no mercado de títulos.

Às 04h00(de Brasília) o yield dos JGBs de dez anos operava estável a 0,420%. Já o juro do bônus de dois anos operava no território negativo, a -0,005%. Os futuros do JGB de dez anos subiam 0,03% para 146,91 ienes."As expectativas de que o BoJ vai comprar mais bônus de longo prazo em dezembro manteve a demanda por JGBs sólida", disse a economista-chefe da SMBC Friend Securities, Mari Iwashita.

Tudo o que sabemos sobre:
Japãobolsamercado financeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.