Bolsa de Tóquio fecha em alta de 0,2%

A Bolsa de Tóquio encerrou o pregão de hoje em alta, liderada pelas empresas de serviços públicos e pelas companhias do setor imobiliário. O índice Nikkei 225 chegou a atingir a maior pontuação dos últimos seis anos e meio, antes de ter seus ganhos limitados pelas realizações de lucro com ações de empresas exportadoras e as vendas efetuadas no final do pregão pelos investidores do mercado futuro. A sessão terminou com o índice marcando elevação de 0,2%, aos 17.547,11 pontos. Os operadores esperam que a divulgação de fortes resultados corporativos mantenha o otimismo dos investidores, mas dizem que o humor do mercado pode mudar na próxima semana com a aproximação de alguns eventos importantes. ?A situação será um pouco diferente na semana que vem, com o vencimento de opções, o pico da atual temporada de balanço corporativos e o encontro do G-7, na Alemanha?, explicou Tsuyoshi Segawa, estrategista da corretora Shinko Securities. Tanto os investidores locais quanto os estrangeiros compraram ações das incorporadoras imobiliárias que possuem grandes propriedades em áreas urbanas, na expectativa de grandes investimentos no setor e de elevação nos preços dos terrenos. Sumitomo Realty subiu 4,4% e NTT Urban Development teve alta de 7,8%. Já a Tokyu Corp ganhou 5,1% e Mitsubishi Estate avançou 1,7%. Os investidores também demandaram ações de companhias que oferecem bons dividendos, como as prestadoras de serviços públicos. Tokyo Eletric subiu 3,4% e Chubu Eletric teve alta de 5%. A Kansai Eletric registrou crescimento de 5,2%. A Nikko Cordial fechou em alta de 13% após registrar queda de 28% nas duas últimas sessões. A indústria de bebidas Sapporo Holdings fechou em alta de 5% após anunciar que o fundo de investimentos norte-americano Steel Partners, seu maior acionista, propôs o abandono de medidas adotadas para evitar uma oferta hostil pela empresa. A Minebea caiu 5,4% depois de anunciar ontem o seu balanço trimestral, levantando a preocupação de que os resultados para o ano fiscal que termina em março fiquem um pouco abaixo do esperado. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.