Bolsa de Tóquio fecha em alta de 0,3% com retardatárias

Papéis de empresas como Sony e Canon beneficiaram-se da migração dos recursos até então aplicados em ações de tecnologia com alto rendimento 

Hélio Barboza, da Agência Estado,

17 de fevereiro de 2011 | 07h22

A Bolsa de Tóquio fechou em alta, fixando outra máxima de fechamento do índice Nikkei 225 no ano, uma vez que ações retardatárias que vinham tendo desempenho inferior ao do mercado, como Sony e Canon, beneficiaram-se da migração dos recursos até então aplicados em ações de tecnologia com alto rendimento. Papéis ligados ao setor de petróleo, como Inpex, também ganharam com a alta das cotações da commodity. O índice Nikkei 225 subiu 28,35 pontos, ou 0,3%, e fechou aos 10.836,64 pontos, estendendo sua sequência ganhadora para quatro sessões consecutivas.

Os principais índices do mercado japonês abriram em alta e já na primeira hora do pregão renovaram suas máximas intraday desde 30 de abril, ajudados pelo resultado positivo das bolsas de Nova York na quarta-feira e pelo avanço das cotações do petróleo.

"Depois dos ganhos recentes nas principais bolsas mundiais, os traders estão começando a ficar um pouco cautelosos", observou o analista Yutaka Miura, da Mizuho Securities. Ele disse que os "players" aguardam a reunião deste fim de semana entre os ministros de finanças do G-20, em Paris. As informações são da Dow Jones

Tudo o que sabemos sobre:
bolsasTóquio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.