Bolsa de Tóquio fecha em alta de 0,8% com dados do PIB

A Bolsa de Tóquio fechou novamente em alta hoje, com intensa atividade de compra das ações do setor varejista, apoiada nos fortes dados econômicos divulgados antes da abertura do pregão. Em sua quinta sessão consecutiva de ganhos, o índice Nikkei 225 subiu 0,8%, chegando aos 17.897,23 pontos, o maior nível de fechamento desde maio de 2000. Os dados divulgados antes da abertura da bolsa mostraram que o Produto Interno Bruto (PIB) do Japão (ajustado aos preços) cresceu 1,2% no período de outubro a dezembro de 2006 em relação ao trimestre anterior, superando a média das previsões dos economistas, que era de uma elevação de 1%. Os investidores ficaram particularmente animados com os dados sobre gastos dos consumidores, que aumentaram 1,1% no trimestre, numa rápida recuperação da queda de 1,1% no período de julho a setembro. As empresas de varejo foram as principais ganhadoras do dia, impulsionadas pela divulgação dos números sobre o consumo. A loja de departamentos Takashimaya disparou 10%, enquanto a operadora de lojas de conveniência Seven & I Holdings ganhou 4,7%. Alguns analistas alertaram, porém, para os riscos de uma leitura muito próxima aos dados divulgados pelo governo, dada a fraqueza dos números relativos ao trimestre anterior e a um grande conjunto de dados sugerindo que os gastos dos consumidores permanecem anêmicos. A Orient, do ramo de crediário, desabou 19% depois de anunciar que contabilizaria grandes perdas neste ano fiscal, devido às provisões para refinanciamento de juros de clientes endividados. A preocupação de que as perdas da Orient possam prejudicar o resultado de seus credores limitou o desempenho das ações do Mizuho Financial Group, que fecharam estáveis. O desempenho do Mizuho contrastou com o restante do setor bancário, que hoje foi objeto da procura por ações baratas. Resona Holdings ganhou 1,5%. A expectativa de que os dados do PIB levem o Banco do Japão (banco central japonês) a aumentar as taxas de juros na semana que vem também contribuiu para os ganhos do setor, segundo os operadores, que apontam para a possibilidade de melhora dos spreads bancários. Os setores imobiliários e de serviços públicos, que lideraram grande parte dos recentes ganhos do mercado, foram derrubados pelas realizações de lucros. A companhia de investimento imobiliário Kenedix desabou 7,5% e a Shizuoka Gás perdeu 4,4%. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.