Bolsa de Tóquio fecha em forte baixa por dados da China

Setor de manufatura chinês registrou desempenho ruim espalhando pessimismo dos investidores

Marcelo Ribeiro Silva, da Agência Estado, com informações da Dow Jones Newswires,

20 de fevereiro de 2014 | 09h13

A Bolsa de Tóquio recuou com força nesta quinta-feira, 20, após dados fracos de manufatura da China renovarem o nervosismo com os mercados emergentes, desencadeando o pessimismo dos investidores. Os dados decepcionantes vieram na sequência da queda das bolsas norte-americanas ontem e de um alerta do Fundo Monetário Internacional (FMI) em relação aos mercados emergentes.

Em mais de metade dos pregões de fevereiro, a bolsa japonesa subiu ou recuou mais de 1,5%. Fatores externos contribuem para oscilações acentuadas do índice.

O índice Nikkei, que reúne as ações mais negociadas em Tóquio, encerrou o pregão com queda de 2,2%, a 14.449,18 pontos. Acumulando a segunda baixa seguida, o índice já anulou o expressivo ganho registrado na sessão de terça-feira, quando foi impulsionado pela decisão do Banco do Japão (BoJ, na sigla em inglês) de expandir seus programas de empréstimos.

A fraqueza do mercado foi vista desde o início do pregão, após o Japão registrar déficit comercial recorde em janeiro. O saldo negativo foi de 2,79 trilhões de ienes no mês passado, ante déficit de 1,67 trilhão de ienes em janeiro de 2013.

Além disso, o conteúdo da ata da última reunião de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA), publicada ontem, foi mal recebido entre os investidores norte-americanos, o que contribuiu negativamente para a Bolsa de Tóquio.

Já um alerta do FMI sobre o risco dos mercados emergentes também disseminou o sentimento de cautela entre os investidores em geral. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsas de valoresTóquio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.