Bolsa de Tóquio fecha em queda com avanço do iene

Índice Nikkei cedeu 0,7% e terminou a sessão aos 14.191,48 pontos, após a alta de 0,7% no dia anterior

09 de maio de 2013 | 06h05

As ações na Bolsa de Tóquio fecharam em queda nesta quinta-feira, uma vez que o iene se fortaleceu antes da reunião do G-7, o que provocou a realização de lucros em vários pesos pesados como Toyota Motor.

O índice Nikkei cedeu 0,7% e terminou a sessão aos 14.191,48 pontos, após a alta de 0,7% no dia anterior.

Os níveis de participação mantiveram-se fortes, com um volume total de 3,8 bilhões de ações sob o valor de 3,2 trilhões de ienes.

As ações em Tóquio abriram em alta após o índice S&P 500 atingir mais um recorde histórico na quarta-feira. Além disso, a produção industrial da Alemanha, cujos resultados foram melhores do que os previstos, amenizou preocupações sobre a perspectiva econômica da zona do euro.

Ainda assim, o ritmo de alta não durou por muito tempo, uma vez que o iene começou a se fortalecer em meio a cautela dos investidores. Eles estão preocupados com potenciais críticas contra o Japão por causa de sua política monetária na reunião do G-7 no final desta semana.

"Não houve catalisadores fortes para quebrar o nível de 14.500 pontos", disse Kenichi Hirano, analista de mercado da Tachibana Securities. Ele disse que a atenção continua focada em resultados corporativos no Japão nos próximos dias, o que pode determinar o futuro curso da recente tendência de compra nas ações.

Muitos dos principais exportadores fecharam em queda nesta quinta-feira. A Toyota Motor cedeu 1,4% e a Tokyo Electron caiu 2,1%. A queda de Toyota veio apesar de a empresa informar na quarta-feira que projeta um crescimento no lucro líquido deste ano para 1,37 trilhão de ienes.

Entre os motores individuais, a Bridgestone perdeu 6,6% depois que a empresa manteve inalterada a perspectiva de lucro feita há três meses para 2013, apesar de um desempenho sólido no trimestre recém-terminado.

A Toshiba caiu 4,9% depois que as perspectivas da empresa para o atual ano fiscal ficaram aquém das expectativas do mercado. A empresa disse na quarta-feira que espera um lucro líquido de 100 bilhões de ienes e um lucro operacional de 260 bilhões de ienes com receita de 6,1 trilhões de ienes para o ano fiscal que começou em abril.

Enquanto isso, a Fuji Heavy Industries adicionou 2,1%. A empresa disse que espera que o lucro líquido do grupo alcance 110 bilhões de ienes para este ano fiscal.

A Sharp ganhou 14% após uma reportagem do Yomiuri de que a empresa pretende expandir seu negócio com a Samsung Electronics e de que está pensando em buscar uma injeção de capital adicional com o conglomerado de eletrônicos sul-coreano. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
JAPÃOBOLSA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.