Bolsa de Tóquio perde 1,1% com disparada do iene

Alta do iene desvalorizou ações de empresas exportadoras; desaquecimento da China ainda preocupa

Agencia Estado

23 de março de 2012 | 06h42

A Bolsa de Tóquio encerrou a semana em baixa. Nesta sexta-feira, um salto na valorização do iene levou a um recuo acentuado nas ações de exportadoras como Honda Motor e Sony. Já os papéis de empresas relacionadas à China, tais como Fanuc e Komatsu, foram afetados pelo segundo pregão seguido pelos temores sobre as perspectivas de crescimento econômico do país asiático.

O Nikkei perdeu 115,61 pontos, ou 1,1%, e terminou aos 10.011,47 pontos, após alta de 0,4% na sessão de quinta-feira. Durante o pregão, o índice chegou a cair abaixo do importante nível psicológico dos 10 mil pontos, o que não ocorria desde 13 de março. Na semana, o Nikkei acumulou perdas de 1,2%, mas permanece com alta de 18% desde o começo do ano. Já o volume de negociações teve ligeira queda para 1,76 bilhão de ações.

Os principais índices entraram no campo negativo desde o início da sessão, na sequência de uma queda acentuada nos mercados internacionais por conta dos fracos dados industriais de China, Alemanha e França.

Kazuhiro Takahashi, diretor de estratégia de investimentos e pesquisas da Daiwa Securities, disse que a queda de curta duração do Nikkei abaixo dos 10 mil pontos não sinaliza necessariamente uma mudança de sentimento dos investidores, à luz dos recentes ralis.

"As preocupações com a desaceleração da economia mundial não são tão fortes nesta fase, à medida que as esperanças de bons números do emprego nos EUA, no início de abril, continuam a dar suporte ao mercado", afirmou Yumi Nishimura, analista de mercado sênior da Daiwa Securities. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsasTóquio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.