Bolsa de Tóquio recua 0,85% com China, Coreias e euro

A Bolsa de Tóquio fechou com sua maior baixa do mês, pressionada triplamente pelo enfraquecimento do euro, pela forte queda das bolsas chinesas e pela escalada das tensões na península coreana. O índice Nikkei 225 cedeu 87,42 pontos, ou 0,85%, e fechou aos 10.216,41 pontos, sua maior baixa porcentual desde 30 de novembro.

HÉLIO BARBOZA, Agencia Estado

20 de dezembro de 2010 | 08h19

As ações mergulharam desde a abertura, uma vez que o sentimento do mercado foi prejudicado pela desvalorização do euro em relação ao iene, ante o rebaixamento da nota atribuída pela agência Moody''s à dívida soberana da Irlanda, na sexta-feira, e o alerta sobre o risco de "contágio", feito pelo Fundo Monetário Internacional (FMI).

"Comparado a uma semana atrás, o ambiente para os investimento está se deteriorando", disse o estrategista Hideyuki Ishiguro, da Okasan Securities.

As preocupações com a escalada das tensões na península coreana também se espalharam, uma vez que a Coreia do Sul iniciou um teste de artilharia em seu posto avançado da Marinha na Ilha Yeonpyeong, bombardeada pelas forças da Coreia do Norte no mês passado. "Os investidores estão ligeiramente nervosos quanto ao tipo de resposta que a Coreia do Norte dará depois do exercício de artilharia", disse Toshikazu Horiuchi, estrategista da Cosmo Securities. As informações são da Dow Jones

Tudo o que sabemos sobre:
bolsasTóquio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.