Bolsa de Tóquio renova máxima de seis meses

Alta foi impulsionada pela melhora dos resultados corporativos; índice Nikkei subiu 0,57%, aos 15.618,07 pontos

AE, Agência Estado

29 de julho de 2014 | 04h29

A Bolsa de Tóquio fechou em alta impulsionada pela melhora dos resultados corporativos. O índice Nikkei subiu 0,57%, aos 15.618,07 pontos, e renovou a máxima de seis meses.

Shun Maruyama, estrategista-chefe de ações para o Japão no BNP Paribas Securities, explicou que os resultados das empresas estão melhorando firmemente, com a ajuda do consumo doméstico e dos investimentos em bens de capital. Embora ele ressalte que esse não é um grande motivo para comprar ações do Japão de modo geral, é possível antecipar uma gradual tendência de melhora.

Até então, os investidores mostravam preocupações com o impacto do aumento do imposto sobre vendas em abril. Ontem, a Nissan Motor anunciou um lucro líquido 37% maior para o segundo trimestre, na comparação anual, influenciado positivamente pelas vendas na América do Norte, China e Europa. As ações subiram hoje 1,8%.

Mesmo assim, alguns analistas expressaram cautela. Dados divulgados pelo governo mostraram que as vendas no varejo caíram 0,6% em junho deste ano ante junho do ano passado, enquanto o desemprego subiu para 3,7%. Vários investidores ainda criticam o mercado de trabalho por ter regras muito rígidas, oferecendo pouca flexibilidade para as necessidades corporativas.

As ações da Skymark Airlines também chamaram atenção no pregão japonês. Os papéis desvalorizaram 13% após a companhia anunciar uma negociação com a Airbus para cancelar ordens de compra de aviões. Segundo a empresa, a Airbus pede uma taxa "exorbitante" de cancelamento caso ela não se junte a um grupo maior e, assim, poder fazer alguma alteração no contrato. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
Japãobolsa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.