Bolsa de Tóquio sobe 0,15%, com imobiliárias e petróleo

A Bolsa de Tóquio fechou em alta, com a ajuda do forte volume de compra de ações dos setores imobiliário e petrolífero, como Mitsubishi Estate e Inpex, em meio ao fraco desempenho do setor de tecnologia depois da notícia de que o CEO da Apple, Steve Jobs, vai tirar licença médica. O índice Nikkei 225 subiu 16,12 pontos, ou 0,15%, aos 10.518,98 pontos.

AE-DOW JONES, Agencia Estado

18 de janeiro de 2011 | 07h05

O índice abriu em baixa, na medida em que várias pesos pesados da tecnologia foram afetadas por uma liquidação de papéis da Apple na Bolsa de Frankfurt após o anúncio da licença de Jobs. Uma desvalorização inicial do dólar e do euro também pesou no sentimento do mercado. As bolsas dos EUA ficaram fechadas na segunda-feira em razão do feriado de Martin Luther King.

Mas o Nikkei virou para positivo quando os players passaram a ver a liquidação nas tecnológicas como uma oportunidade para compras de mergulho. A atenção dos investidores agora volta-se para os resultados do Citigroup e da Apple, que saem nesta terça-feira, bem como para os dados da inflação e do PIB da China, a serem divulgados na quinta-feira. Os números chineses podem intensificar a especulação sobre novas medidas de aperto monetário no país, dizem alguns analistas. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsasTóquio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.